Brasil se despede de Tóquio com melhor campanha na história das Olimpíadas

Medalhas de prata no vôlei feminino e no boxe, com Beatriz Ferreira, fecham melhor campanha brasileira na história das Olimpíadas. O país volta do Japão com 21 medalhas, 7 de ouro, 6 de prata e 8 de bronze, e o 12º lugar. Cerimônia encerrou oficialmente os Jogos com a chama olímpica sendo apagada na manhã deste domingo

Fogos de artifício durante a cerimônia de encerramento no estádio olímpico de Tóquio.
Fogos de artifício durante a cerimônia de encerramento no estádio olímpico de Tóquio.TIBOR ILLYES (EFE)
São Paulo | Tóquio -
Mais informações

O Brasil encerra sua participação nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020 com duas pratas na madrugada deste domingo e a melhor campanha da história. A seleção brasileira de vôlei feminino não foi párea para os Estados Unidos na final e acabou derrotada por 3 a 0, com parciais de 25 a 21, 25 a 20 e 25 a 14. Beatriz Ferreira também ficou com a medalha de prata ao perder a final da categoria peso leve por decisão unânime dos juízes, para a irlandesa Kellie Harrington. Com isso, o Brasil terminou na melhor posição de sua história, o 12º lugar, e bateu o recorde de pódios, com 21 medalhas conquistas. As melhores marcas anteriores eram a 13º posição e 19 medalhas, conquistadas na Rio 2016. A campanha em Tóquio também igualou o maior número de ouros em uma edição, com sete. Foram ainda seis pratas e oito bronzes.

Foram medalha de ouro Ítalo Ferreira (surfe); Martina Grael e Kahena Kunze (vela); Rebeca Andrade (ginástica artística); Ana Marcela Cunha (maratona aquática); Isaquias Queiroz (canoagem); Hebert Conceição (boxe); e seleção brasileira de futebol masculino. Foram medalha de prata Kelvin Hoefler (skate); Rayssa Leal (skate); Pedro Barros (skate); Beatriz Ferreira (boxe); Rebeca Andrade (ginástica artística); seleção brasileira de vôlei feminino. E foram medalha de bronze Mayra Aguiar (judô); Daniel Cargnin (judô); Fernando Scheffer (natação); Bruno Fratus (natação); Thiago Braz (salto com vara); Alison dos Santos (atletismo); Abner Teixeira (boxe); e Laura Pigossi e Luisa Stefani (tênis).

Os Estados Unidos acabaram com a liderança do quadro de medalhas, com 39 medalhas de ouro, 41 de prata e 33 de bronze. A China ficou em segundo lugar, com 38 ouros, 32 pratas e 18 bronzes. E o Japão fechou em terceiro, com 27 ouros, 14 pratas e 17 bronzes. Como marco do fim oficial dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, a chama foi apagada da pira olímpica na cerimônia de encerramento, ocorrida na manhã deste domingo.

Tóquio 2020 retorna ainda neste mês, com os Jogos Paralímpicos a partir do dia 24 de agosto. Depois, a pira olímpica volta a ser acesa somente em 2024, quando a Olimpíada será sediada em Paris. Um ciclo olímpico mais curto que o normal, mas que já enche de expectativa.

Veja como contamos notícias de Tóquio 2020 no EL PAÍS:

Diogo Magri

Encerramos por aqui a nossa cobertura ao vivo dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. Agradecemos a companhia durante essas duas semanas em que vivenciamos o maior evento esportivo do planeta. Até a próxima! 

Diogo Magri
Diogo Magri

Os medalhistas do Brasil na Olimpíada de Tóquio 2020

Brasileiros somaram 21 medalhas nestes Jogos Olímpicos: sete ouros, seis pratas e oito bronzes. Foi a melhor campanha do país na história das Olimpíadas. Conheça os atletas brasileiros que subiram ao pódio nesta competição.

Diogo Magri
Diogo Magri

Rebeca Andrade, a exceção em um país que desvaloriza o esporte e triunfou por meio de uma política eficaz

Ginasta que conquistou ouro e prata na Olimpíada de Tóquio e virou representante do Brasil no encerramento dos Jogos se consagrou graças a treinadores engajados e a um projeto público eficaz. Por Felipe Betim.

Diogo Magri
Diogo Magri

Recorde de medalhas do Brasil contrasta com corte em investimento no esporte

O Brasil fecha a Olimpíada com 21 medalhas conquistadas no Japão, sendo 7 de ouro, e o 12º lugar, que consiste no melhor desempenho da história para o país. Governo Bolsonaro comemora pódios e exalta Bolsa Atleta, mas corta recursos e sucateia programa. Por Diogo Magri.

 

Diogo Magri
Diogo Magri

Vale lembrar que o mês de agosto ainda reserva os Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020. O torneio está marcado para começar em 24 de agosto, e tem o Brasil como uma de suas potências. Na Rio 2016, a delegação brasileira ficou em oitavo lugar, com 14 ouros, 29 pratas e 29 bronzes. 

 

Diogo Magri
Diogo Magri

Como último ato da cerimônia, a chama é apagada da pira olímpica. Ela voltará a ser acesa daqui três anos, em Paris 2024. 

Diogo Magri
Diogo Magri

"Declaro o fim da Olimpíada mais difícil já feita. Os Jogos de Tóquio estão oficialmente encerrados", afirma Thomas Bach.

Diogo Magri
Diogo Magri

Thomas Bach, presidente do Comitê Olímpico Internacional, faz o discurso de agradecimento a Tóquio, ao Japão e aos voluntários. "Obrigado aos atletas que quiseram tanto que esses Jogos acontecessem", completou. Bach chama Tóquio 2020 de "Jogos da esperança, do amor, da paz e da solidariedade".

Diogo Magri
Diogo Magri

COB comemora zero casos de covid-19 na delegação brasileira

O Comitê Olímpico Brasileiro comemorou os zero casos de covid-19 entre os brasileiros que estiveram presentes nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. Ao todo, 436 pessoas relacionadas à Olimpíada testaram positivo para o vírus durante o torneio, dos quais 150 eram estrangeiros e 33 eram atletas.

“Nosso protocolo foi bem rigoroso. O Brasil não trouxe o vírus ao Japão. Não tivemos nenhum caso positivo durante os Jogos, o que é um motivo de orgulho para nós. E o Brasil não perdeu atletas por contato próximo nem em treinamento nem em competição”, festejou a médica Beatriz Perondi.

Entre as medidas sanitárias tomadas pelo COB, foram feitos cinco testes antes da viagem em todos os atletas, que também receberam a recomendação de se isolar por duas semanas. Cerca de 90% dos atletas receberam ao menos a primeira dose da vacina. 

Já na Vila Olímpica, todos foram testados diariamente. Na bagagem, foram levados 6.000 testes de antígeno, 68.000 máscaras descartáveis, 2.400 máscaras N95, 2.400 máscaras do Time Brasil, 400 litros de álcool gel e 70 óculos de proteção.

Diogo Magri
Diogo Magri

Agora é executada a Marselhesa, hino da França. Começam os ritos de passagem de bastão à próxima sede dos Jogos Olímpicos: Paris 2024. 

Diogo Magri
Diogo Magri

Como acontece tradicionalmente, acontece no meio da cerimônia de encerramento a formação do pódio e a entrega de medalhas das maratonas masculina e feminina. 

Na feminina, ouro para Peres Jepchirchir do Quênia, prata para Brigid Kosgei do Quênia e bronze para Molly Seidel, dos Estados Unidos.

Na masculina, ouro para Eliup Kipchoge do Quênia, prata para Abdi Nageeye da Holanda e bronze para Bahir Abdi da Bélgica. 

Em honra à origem dos Jogos Olímpicos, a bandeira da Grécia é hasteada, assim como a do Quênia. E o hino queniano é executado por duas vezes. 

Diogo Magri
Diogo Magri

A banda Tokyo Ska Paradise Orchestra se apresenta com a cantora Millet, cantando inclusive a música "Olha pro céu", composta em parceria com o brasileiro Emicida. 

Diogo Magri
Diogo Magri

O Time Brasil na cerimônia de encerramento. 

Diogo Magri
Diogo Magri

Aí a nossa porta-bandeira! Rebeca Andrade, a primeira ginasta brasileira a vencer uma medalha olímpica. Prata no individual geral e ouro no salto em Tóquio. 

Diogo Magri
Diogo Magri

Rebeca Andrade é a porta-bandeira do Brasil na cerimônia. Além dela, Hebert Conceição é o outro atleta representante do país no gramado do estádio olímpico de Tóquio. 

Também estão lá os brasileiros Bira, funcionário mais antigo do COB; Xico Porath, treinador da Rebeca; Ana Corte, coordenadora médica; Sebastian Pereira, sub-chefe de missão. 

Diogo Magri
Diogo Magri

Depois da cerimônia trazer a bandeira do Japão para o estádio e tocar o hino japonês, as bandeiras dos países são trazidas para o gramado por um representante de cada delegação. Por conta dos protocolos sanitários, 63 países não são representados porque seus atletas já voltaram para casa. 

Diogo Magri
Diogo Magri

Começa a cerimônia de encerramento da Olimpíada de Tóquio

A cerimônia marca o encerramento oficial dos Jogos Olímpicos e começou às 8h, no horário de Brasília. A ginasta Rebeca Andrade, que venceu um ouro e uma prata no Japão, será a porta-bandeira do Brasil no desfile de delegações. 

Diogo Magri
Diogo Magri

Estados Unidos viram no último dia e terminam em primeiro no quadro de medalhas

Os Estados Unidos terminaram mais uma Olimpíada em primeiro lugar no quadro de medalhas geral. Desta vez, com emoção: o país perdia por uma medalha até o último dia para a China, mas conseguiu a virada graças a medalhas no ciclismo, boxe e vôlei feminino. 

O pódio da classificação geral foi formado por EUA, com 39 ouros, 41 pratas e 33 bronzes; China, com 38 ouros, 32 pratas e 18 bronzes; e Japão, com 27 ouros, 14 pratas e 17 bronzes.

Imagem: Google.

Diogo Magri
Diogo Magri

Sérvia vence última medalha dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020

A última medalha de Tóquio 2020 ficou com a Sérvia. O país derrotou a Grécia por 13 a 10 na final do polo aquático masculino, já na manhã deste domingo, no que foi também o último jogo desta Olimpíada. A Hungria fechou o último pódio desta edição. 

Diogo Magri
Diogo Magri

Medalhas de prata fecham melhor campanha brasileira da história das Olimpíadas

Com as duas medalhas de prata nesta madrugada, o Brasil alcançou seu melhor desempenho na história das Olimpíadas. Antes, o recorde era de 7 ouros, 19 medalhas no total e um 13º lugar na classificação geral, obtidos em 2016. A campaha de Tóquio 2020 igualou os 7 ouros, mas chegou a 21 medalhas e o 12º lugar. Foram ainda 6 pratas e 8 bronzes. 

 

Diogo Magri
Regras

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: