_
_
_
_

Brasil se despede de Tóquio com melhor campanha na história das Olimpíadas

Medalhas de prata no vôlei feminino e no boxe, com Beatriz Ferreira, fecham melhor campanha brasileira na história das Olimpíadas. O país volta do Japão com 21 medalhas, 7 de ouro, 6 de prata e 8 de bronze, e o 12º lugar. Cerimônia encerrou oficialmente os Jogos com a chama olímpica sendo apagada na manhã deste domingo

Fogos de artifício durante a cerimônia de encerramento no estádio olímpico de Tóquio.
Fogos de artifício durante a cerimônia de encerramento no estádio olímpico de Tóquio.TIBOR ILLYES (EFE)
Mais informações
Presidente Jair Bolsonaro recebe medalhistas dos Jogos Pan-Americanos Lima 2019 no Palácio do Planalto, em Brasília. Data: 16.08.2019. Foto: Abelardo Mendes Jr/ Ministério da Cidadania
Recorde de medalhas do Brasil contrasta com corte em investimento no esporte
Rebeca Andrade of Brazil, celebrates after winning the gold medal on the vault during the artistic gymnastics women's apparatus final at the 2020 Summer Olympics, Sunday, Aug. 1, 2021, in Tokyo, Japan. (AP Photo/Natacha Pisarenko)
Os medalhistas do Brasil na Olimpíada de Tóquio 2020

O Brasil encerra sua participação nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020 com duas pratas na madrugada deste domingo e a melhor campanha da história. A seleção brasileira de vôlei feminino não foi párea para os Estados Unidos na final e acabou derrotada por 3 a 0, com parciais de 25 a 21, 25 a 20 e 25 a 14. Beatriz Ferreira também ficou com a medalha de prata ao perder a final da categoria peso leve por decisão unânime dos juízes, para a irlandesa Kellie Harrington. Com isso, o Brasil terminou na melhor posição de sua história, o 12º lugar, e bateu o recorde de pódios, com 21 medalhas conquistas. As melhores marcas anteriores eram a 13º posição e 19 medalhas, conquistadas na Rio 2016. A campanha em Tóquio também igualou o maior número de ouros em uma edição, com sete. Foram ainda seis pratas e oito bronzes.

Foram medalha de ouro Ítalo Ferreira (surfe); Martina Grael e Kahena Kunze (vela); Rebeca Andrade (ginástica artística); Ana Marcela Cunha (maratona aquática); Isaquias Queiroz (canoagem); Hebert Conceição (boxe); e seleção brasileira de futebol masculino. Foram medalha de prata Kelvin Hoefler (skate); Rayssa Leal (skate); Pedro Barros (skate); Beatriz Ferreira (boxe); Rebeca Andrade (ginástica artística); seleção brasileira de vôlei feminino. E foram medalha de bronze Mayra Aguiar (judô); Daniel Cargnin (judô); Fernando Scheffer (natação); Bruno Fratus (natação); Thiago Braz (salto com vara); Alison dos Santos (atletismo); Abner Teixeira (boxe); e Laura Pigossi e Luisa Stefani (tênis).

Os Estados Unidos acabaram com a liderança do quadro de medalhas, com 39 medalhas de ouro, 41 de prata e 33 de bronze. A China ficou em segundo lugar, com 38 ouros, 32 pratas e 18 bronzes. E o Japão fechou em terceiro, com 27 ouros, 14 pratas e 17 bronzes. Como marco do fim oficial dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, a chama foi apagada da pira olímpica na cerimônia de encerramento, ocorrida na manhã deste domingo.

Tóquio 2020 retorna ainda neste mês, com os Jogos Paralímpicos a partir do dia 24 de agosto. Depois, a pira olímpica volta a ser acesa somente em 2024, quando a Olimpíada será sediada em Paris. Um ciclo olímpico mais curto que o normal, mas que já enche de expectativa.

Veja como contamos notícias de Tóquio 2020 no EL PAÍS:

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS
_
_