El País Semanal

A última cruzada do ‘rei’ Diego Maradona

Esteve duas vezes à beira da morte. Afundou-se no álcool e na cocaína. Tem o coração fraco e lhe custa caminhar. Mas, sempre que volta, enlouquece a torcida. Agora treina o Gimnasia, um clube arruinado, que se pôs nas mãos de um ídolo crepuscular com ardor religioso. Porque Maradona na Argentina não é um assunto racional, é questão de fé. Diego Armando é e será uma lenda sem fim