Os argentinos que me desculpem, mas Diego Maradona não é só deles

Muito antes do FBI derrubar metade dos cartolas da Fifa, a oligarquia que mandava no futebol mundial temia Dieguito. Junto com seus dribles vinha sua rebeldia de exigir direitos trabalhistas e de chocar o mundo dos ídolos amestrados com sua voz dissonante

O jogador de futebol Diego Armando Maradona, no programa de televisão cubano 'La hora 10' com o então presidente Fidel Castro, em 2006.
O jogador de futebol Diego Armando Maradona, no programa de televisão cubano 'La hora 10' com o então presidente Fidel Castro, em 2006.

Os argentinos que me desculpem. Mas Diego não lhes pertence. Pertence a todos nós. Não vestia a camisa de uma nação, nem o número 10 de um clube. Maradona entrava em campo levando consigo a genialidade, complexidade e rebeldia da humanidade. Muito antes do FBI derrubar metade dos cartolas, muito antes do desmonte do poder da Era Havelange-Blatter, das...

Mais informações