O adeus a Diego Maradona

Maradona, cinco filhos reconhecidos, vários outros por reconhecer e uma fortuna difícil de calcular

A vida sentimental e familiar do astro argentino foi conturbada. Conheceu a paixão com muitas mulheres, mas com todas elas acabou mal. Luta por seu legado tem tudo para ser complicada

Maradona com Claudia Villafañe e suas duas filhas, Dalma e Gianinna, nos tempos felizes do seu casamento.
Maradona com Claudia Villafañe e suas duas filhas, Dalma e Gianinna, nos tempos felizes do seu casamento.

Mais informações

Não por desejo próprio, Diego Maradona ocupou muito espaço nos meios de comunicação por causa da sua conturbada vida pessoal. Um casamento, várias parceiras e muitas amantes compõem o panorama sentimental do astro argentino que morreu nesta quarta-feira, aos 60 anos. Com todas elas conheceu a paixão e com todas elas acabou mal, chegando inclusive aos tribunais. Algumas o acusaram de ser violento, ele de que elas só queriam seu dinheiro. Teve muitos filhos. Quantos? Essa é uma incógnita. Legalmente reconheceu cinco, mas tinha relacionamento com até nove, embora haja quem diga que na verdade são 11.

Quando acabar a despedida de um dos maiores craques da história começará a luta por seu legado, tanto material como sentimental. E no panorama imediato há outra pergunta: que patrimônio deixa? Seja pouco ou muito, há pistas de que a guerra entre seus herdeiros está garantida. A última e mais significativa: no dia do seu último aniversário, pela primeira vez Maradona não conseguiu reunir todos os seus filhos, como gostaria ― um desejo que surgiu na última etapa de sua vida, quando tentou reparar erros do passado. Dentro do campo, Diego Armando Maradona foi o melhor jogador de futebol da história da Argentina. Fora do gramado, El Pibe nascido no humilde bairro portenho de Vila Fiorito deixa após sua morte uma biografia infestada de excessos.

Matías Morla, advogado do jogador e um das pessoas que estiveram mais próximas de Maradona nos seus últimos dias, revelou esse desejo dele de reunir os cinco filhos reconhecidos: Dalma, Gianinna, Diego Júnior, Jana e Diego Fernando. Maradona tinha outros seis filhos que estão tramitando esse reconhecimento de paternidade na Justiça: quatro em Cuba (Javielito, Lu, Johanna e Harold, com idades entre 19 e 21 anos), mais Santiago Lara, de 19 anos, natural de La Plata, e Magalí Gil, de 24. “Diego é muito respeitoso com o direito à identidade, com a questão de saberem se são filhos ou não. Acredito que a esta altura já fechou a sequência de quais são seus filhos. Se a Justiça reconhecer um novo filho, seria preciso ver que vínculo forma”, apontava seu advogado dias antes da inesperada morte do 10.

Quinto dos oito filhos da dona Tota e do senhor Diego, o jogador casou-se em grande estilo com Claudia Villafañe em 1989, diante de 1.300 convidados ― entre eles o então presidente da Argentina, Carlos Menem, e o magnata italiano Silvio Berlusconi ― no ginásio Luna Park, em Buenos Aires. O casal disse o sim quando já tinha duas filhas (Dalma Nerea, nascida em 1987, e Giannina, em 1989) e se manteve formalmente unido até 2003, quando saiu o divórcio e teve início uma longa lista de disputas nos tribunais, com acusações cruzadas de apropriação de bens, irregularidades na partilha e esbanjamento.

Dalma é atriz, casada com o jogador de rúgbi Ariel Caldarelli. Giannina optou pela moda, com a criação da linha de roupa Catarsis, e fez Maradona ser avô pela primeira vez em 2009, ao dar à luz Benjamín Agüero. Seu casamento com o jogador Kun Agüero terminou em 2012.

As duas irmãs foram durante anos as únicas filhas reconhecidas pelo astro argentino, mas em 1995 ele aceitou publicamente a paternidade de Diego Jr., o primogênito. O jovem, fruto de seu relacionamento com a italiana Cristiana Sinagra durante sua passagem pelo Napoli, nasceu em 1986, ano em que seu pai comandou a conquista do título mundial pela Argentina na Copa do México.

A quarta de suas filhas foi Jana, nascida em 1995 do romance que manteve com Valeria Sabalain. Embora só a tenha reconhecido como filha quando ela já era maior de idade e apareceu na frente dele em uma academia, seu relacionamento se tornou muito estreito a partir do ano passado e ambos conviveram durante a pandemia de covid-19.

A aproximação com Jana ocorreu depois que Giannina concluiu em 2019 que seu pai estava morrendo. “Não está morrendo porque seu corpo decida, o estão matando por dentro sem que ele possa perceber. Não acredito no parâmetro do normal, mas isso está muito distante da realidade que ele merece. Rezem, por favor”, afirmou. As declarações dessa filha enfureceram Maradona, que publicou um vídeo dizendo estar “mais vivo do que nunca” e anunciando que não deixaria nada de herança para seus filhos, pois doaria tudo para obra de caridade.

O quinto dos filhos reconhecidos pelo ídolo argentino é Diego Fernando. Sua mãe, Verónica Ojeda, manteve um relacionamento de uma década com Maradona, que a deixou em 2013, quando Ojeda estava grávida. Depois do rompimento, o jogador processou a ex-companheira por mostrar fotos do bebê nas redes sociais.

Seu último namoro foi com Rocío Oliva, entre 2013 e 2019, anos em que Maradona viveu entre os Emirados Árabes, México e Argentina para atuar como treinador. Como com suas parceiras anteriores, o rompimento foi acompanhado de processos judiciais.

No ano passado, o advogado Morla revelou que o jogador tinha outros três filhos em Cuba e insinuou a existência de um quarto. Teriam nascido entre 2000 e 2005, quando Maradona viveu na ilha caribenha para se curar de seus vícios, após ter estado à beira da morte em janeiro de 2000. Segundo a imprensa local, a lista de rebentos poderia chegar a formar um time de 11.

A fortuna a ser herdada por seus descendentes é difícil de calcular porque Maradona teve rendimentos milionários, mas também gastos excessivos. Em 2014, seu patrimônio foi estimado em 75 milhões de dólares (400 milhões de reais, pelo câmbio atual). Entre seus bens se destacam cinco imóveis residenciais em Buenos Aires e arredores, além de vários carros de luxo e excentricidades como um anel de brilhantes avaliado em 1,9 milhão de reais, que ele adquiriu em Belarus e usava como amuleto no banco como treinador do Gimnasia y Esgrima de La Plata, e uma caminhonete anfíbia, capaz de navegar.

Ao chegar ao final da sua vida, na quarta-feira, Maradona não tinha nenhum dos seus filhos junto a si. Apenas a companhia de dois de seus amigos, esses com quem formou sua outra família.

Mais informações