Ao Vivo

A repercussão da anulação das condenações de Lula na Lava Jato e notícias sobre a pandemia

Decisão de Fachin torna Lula elegível e causa forte reação no mercado brasileiro e em Brasília. Também nesta segunda, governadores se articulam em “pacto nacional” para adotar ações de combate à covid-19 conjuntamente, como reação à inércia de Jair Bolsonaro na gestão da crise. Brasil ultrapassa 266.000 óbitos pela covid-19

Manifestantes protestam contra o presidete Jair Bolsonaro em frente ao Palácio do Planalto em Brasília nesta segunda-feira, 8 de março.
Manifestantes protestam contra o presidete Jair Bolsonaro em frente ao Palácio do Planalto em Brasília nesta segunda-feira, 8 de março.UESLEI MARCELINO / Reuters
São Paulo / Brasília - 09 mar 2021 - 03:34 UTC

Aviso aos leitores: o EL PAÍS mantém abertas as informações essenciais sobre o coronavírus durante a crise. Se você quer apoiar nosso jornalismo, clique aqui para assinar.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a ser elegível após o ministro Edson Fachin, do STF, anular as condenações do petista pela Lava Jato nesta segunda-feira. Fachin declarou a incompetência da Justiça Federal em Curitiba para julgamento de investigações contra o petista. A decisão do magistrado fez a Bolsa brasileira desabar e o dólar disparar, em um momento em que o Brasil já atravessa uma turbulência política, também em consequência do colapso do sistema de saúde provocado pela segunda onda da pandemia de covid-19 . Também nesta segunda-feira, governadores se articulam em um “pacto nacional” para adotar uma ação conjunta de combate ao coronavírus, diante da inércia do presidente Jair Bolsonaro na crise sanitária. Houve protestos contra Bolsonaro em Brasília. O Brasil ultrapassa 266.000 óbitos desde o início da crise sanitária.

Veja as notícias mais importantes do dia:


Mais informações