Seleccione Edição
Login

Homem é baleado após agredir policial com martelo na Catedral de Notre Dame, em Paris

Prefeitura de Paris, através do Twitter, pede à população que evite a região

Um policial atirou e feriu um homem que agrediu com um martelo outro agente na esplanada da emblemática catedral Notre Dame, em Paris, de acordo com informações de fontes policiais. A Prefeitura da capital francesa alertou na tarde de terça-feira, através de um breve comunicado no Twitter, “sobre uma intervenção policial em andamento” na região da popular igreja parisiense e pediu a moradores e turistas que evitem a área.

A imprensa afirma que o agressor foi “neutralizado” por disparos da arma de serviço do policial. Uma testemunha contou à rede de televisão BFMTV que escutou “dois tiros”. A agência France Presse informa que o corpo do agressor continua no chão, em frente à catedral, onde foi instalado um perímetro de segurança.

Uma fonte do Ministério do Interior disse ao jornal Libération que o agressor foi “atingido no tórax” e que por enquanto são desconhecidos tanto “seu estado de saúde como seus motivos”. O agente agredido sofreu ferimentos leves.

A igreja foi evacuada como medida de segurança, de acordo com o site France Soir. A Brigada de Investigação e Intervenção (BRI, na sigla em francês) já está na região do incidente para deter um eventual cúmplice. Os serviços antiterroristas franceses abriram uma investigação sobre os fatos ocorridos no começo da tarde em Notre Dame, visitada anualmente por 13 milhões de pessoas.

Uma turista espanhola que se encontrava na igreja detalhou à Efe que os serviços de segurança fecharam as portas da catedral e se limitaram a informar que havia ocorrido um incidente do lado de fora que justificava o fato de não deixá-los sair até segundo aviso. “Ouvimos os tiros, mas pensamos que eram fogos de artifício”, afirmou a mulher, moradora de Guadalajara.

O incidente ocorre três dias depois do atentado na Ponte de Londres, em que morreram sete pessoas, e a cinco dias do primeiro turno das eleições parlamentares na França.

A França está em estado de alerta máximo após uma onda de atentados jihadistas que começou em 7 de janeiro de 2015, quando 11 pessoas foram assassinadas em um ataque à sede da revista de humor Charlie Hebdo. Em 13 de novembro desse ano, um comando jihadista que jurou lealdade ao autodenominado Estado Islâmico matou 130 pessoas em vários ataques à capital francesa.

MAIS INFORMAÇÕES