Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Identificado terceiro suspeito de ataques em Londres

Italiano de origem marroquina, Youssef Zaghba já havia sido preso em 2016, mas não era investigado

O terceiro suspeito de ter participado do ataque terrorista que matou sete pessoas no sábado passado em Londres é Youssef Zaghba, italiano de origem marroquina, de acordo com informações da polícia local. Os investigadores afirmaram em nota que Zaghba, de 22 anos, residia na zona leste da capital londrina e não era “um alvo de interesse nem da Polícia nem do MI5 [serviço de inteligência do Reino Unido]”. A família já foi informada da morte do suspeito.

O terceiro suspeito – cuja identificação formal ainda não foi concluída, segundo a polícia – havia sido detido em março de 2016 no aeroporto de Bolonha (Itália), onde vivia sua mãe, relatou o jornal Corriere Della Sera. O ítalo-marroquino portava uma mochila, uma passagem só de ida para Istambul (Turquia) e um celular com vídeos e imagens religiosas, acrescenta o diário italiano.

A polícia considerou que isso não era um material significativo que indicasse envolvimento com o fundamentalismo islâmico, mas mesmo assim colocou seu nome na lista italiana de pessoas de risco. Naquela ocasião, as autoridades britânicas e marroquinas foram informadas sobre seu histórico. Depois da detenção, Zaghba, que havia avisado à sua mãe que viajaria a Roma, apesar de ter passagem para a Turquia, acabou se mudando para Londres, onde encontrou trabalho em um restaurante.

Os outros dois autores dos ataques de sábado foram identificados nesta segunda-feira. São Khuram Shazad Butt, cidadão britânico de origem paquistanesa, de 27 anos, pai de duas crianças, que já estava no radar da polícia por causa dos seus vínculos com o islamismo radical, e Rachid Redouane, de 30 – que também usava o sobrenome Elkhdar e afirmava ser marroquino e líbio –, a quem a polícia não conhecia.

Até esta terça-feira, a identidade do terceiro agressor ainda não havia sido revelada, embora já se soubesse que ele tinha ficha policial, segundo Mark Rowley, responsável pela Brigada Antiterrorista, que não havia dado mais detalhes sobre as circunstâncias que levaram o suspeito a ser investigado.

Durante a madrugada desta terça-feira, um homem de 27 anos foi detido no bairro de Barking, na zona leste da capital britânica, por suposta relação com o atentado, segundo a Polícia Metropolitana de Londres (Met). A detenção foi divulgada depois de as autoridades libertarem sem acusações, na noite de terça, 12 pessoas que permaneciam sob custódia.

MAIS INFORMAÇÕES