Patti Smith: “É preciso dar muitos passos para conseguir ser livre”

Narradora, poeta e cantora underground, ela se define, aos 73 anos, como uma sobrevivente. A pandemia lhe confirmou que a liberdade é uma conquista mental e, para que a sociedade americana despertasse, ela saiu às ruas para cantar e incentivar as pessoas a votar. Seus livros, assim como sua vida, estão escritos com lembranças de Robert Mapplethorpe e Sam Shepard, seus dois grandes amores. E também de Janis Joplin, Bob Dylan e William Burroughs, que lhe ensinou o segredo da arte: manter o nome limpo e não fingir

ARTIGOS PARA LEITORES CADASTRADOS

A função da crítica

A boa literatura é sempre subversiva, e os bons romances são motores permanentes de mudança social. Os críticos devem não apenas descobrir talentos, mas também detectar a relação entre a fabulação e a realidade social