Neymar

‘La Casa de Papel’ incorpora uma participação de Neymar após o arquivamento da denúncia de estupro

Jogador aparece como monge em dois capítulos modificados depois da decisão judicial por falta de provas

Neymar atuando em "La casa de papel".
Neymar atuando em "La casa de papel".REPRODUÇÃO

MAIS INFORMAÇÕES

Os seguidores mais ávidos da La Casa de Papel, aqueles que assistiram à terceira temporada assim que estreou em 19 de julho, perderam a participação de Neymar, ao alcance dos retardatários faz alguns dias. As cenas do polêmico jogador de futebol brasileiro, declarado fã do bando dos macacões vermelhos, foram incorporadas somente depois que a polícia e a promotoria de São Paulo arquivaram, por falta de provas, no início de agosto, a denúncia de violação apresentada pela modelo Najila Trindade de Souza dois meses antes.

Na versão da série lançada mundialmente na sexta-feira, 19 de julho, não aparece João, o monge brasileiro de um convento italiano, que na versão divulgada agora conversa com Berlim e o Professor nos capítulos 6 e 8. É uma aparição breve, na qual o jogador ri de si mesmo ao dizer, em espanhol, que não gosta de futebol ou de festas.

A denúncia apresentada pela modelo que ele conheceu na Internet e convidou a visitá-lo em Paris fez com que um contrato de patrocínio com a Mastercard fosse suspenso e, pelo que se sabe agora, que a Netflix mantivesse na gaveta a participação dele, à espera da decisão da Justiça.

“Consegui realizar o meu sonho e fazer parte da minha série favorita. E agora posso compartilhar João com todos vocês!”, tuitou o atacante há alguns dias atrás para anunciar sua aparição em uma série que desde o início se tornou um fenômeno no Brasil. Com a tag #nuevofichaje, o jogador fez piada sobre a novela que protagonizou em meados do ano, que começou com a denúncia de um estupro que ele sempre negou, teve a ausência na Copa América por lesão e uma operação que fracassou quando o jogador não conseguiu abandonar o Paris Saint-Germain para retornar ao Barcelona.

A denúncia foi arquivada pelas promotoras Grupo de Atuação Especial de Enfrentamento à Violência Doméstica (Gevid) em São Paulo, que consideraram haver “falta de provas" de estupro e "afeto entre as partes". Até então, milhões de espectadores de todo o mundo tinham visto, sem vestígios de Neymar, a série que encheu as ruas das principais cidades do Brasil com o slogan “a resistência precisa de você”.

O assunto, e quem sabe a série, ainda pode ter alguma reviravolta no roteiro, porque, como enfatizaram as promotoras, o jogador não foi absolvido. O caso pode ser reaberto a qualquer momento se surgirem novas provas.

Arquivado Em: