Neymar

Caso Neymar: o que se sabe até agora sobre a acusação de estupro

Após a divulgação do Boletim de Ocorrência, jogador expôs fotos íntimas da mulher que o acusa e o pai dele confirmou dois encontros com ela. Saiba tudo o que já foi divulgado sobre o caso

Neymar durante treinamento da seleção na Granja Comary.
Neymar durante treinamento da seleção na Granja Comary.Leo Correa (AP)

Mais informações

Ao longo dos últimos dias, Neymar, principal estrela da seleção brasileira, se tornou o centro das atenções do interesse público às vésperas da Copa América 2019. E por uma questão que vai além de seu futebol e da preparação da equipe do treinador Tite para a disputa do torneio continental em casa. No sábado, 1 de junho, a imprensa divulgou o registro de um Boletim de Ocorrência feito em uma Delegacia da Mulher em São Paulo no dia anterior, no qual uma brasileira acusa o jogador de estupro. O episódio, segundo ela, aconteceu em 15 de maio em um hotel em Paris, onde o atacante joga. Desde a acusação, o jogador expôs fotos e conversas com a mulher através de seu Instagram, seu pai saiu em sua defesa, confirmando que aconteceram dois encontros entre Neymar e a moça em Paris, e um laudo médico apontou hematomas e arranhões no corpo da brasileira.  Abaixo, explicamos tudo o que se sabe até agora sobre a acusação envolvendo o jogador de futebol mais midiático do Brasil.

Sexta-feira, 31 de maio: a acusação

Uma brasileira registra um Boletim de Ocorrência na 6ª Delegacia de Defesa da Mulher de São Paulo acusando Neymar de estupro. Segundo a versão dela descrita no BO, eles teriam se conhecido através do Instagram, trocaram mensagens por aplicativo e Neymar a convidou para uma visita em Paris, onde ele joga, oferecendo passagens e hospedagem. Ela conta que um assessor do jogador, chamado Gallo, resolveu os detalhes da viagem até ela chegar na cidade, no dia 15 de maio, e se hospedar no Hotel Sofitel Paris Arc Du Triomphe. Neymar teria chegado ao hotel de noite, “aparentemente embriagado” e, segundo relato da mulher, ambos teriam conversado e trocado carícias, mas o jogador ficou agressivo e praticou relação sexual contra a vontade dela. A brasileira voltou ao Brasil dois dias depois e não denunciou imediatamente porque estava “abalada emocionalmente e com medo de registrar os fatos em outro país”, explicou.

Sábado, 1 de junho: Neymar publica vídeo com conversas íntimas

O BO chega a conhecimento público através de matéria no Portal UOL, revelando o conteúdo da denúncia. No mesmo dia, em entrevista ao programa do Datena, na Band, Neymar da Silva Santos, pai de Neymar, confirmou que o filho se encontrou com a mulher, mas que a relação entre os dois foi consentida. “A gente está calejado com isso. Agora vamos mostrar a verdade”, disse. Falou também que esperava o BO, uma vez que Neymar teria terminado a relação com a mulher e sofrido uma tentativa de extorsão relacionada com o caso. Ainda prometeu entrar na Justiça contra ela.

Na noite deste mesmo sábado, Neymar utilizou o IGTV, recurso do Instagram, para subir um vídeo se defendendo da acusação de estupro. Nele, se diz vítima “uma armadilha”, alega que quem o conhece sabe que jamais faria “uma coisa desse tipo” e avisa que vai expor toda a conversa que teve com a mulher através do WhatsApp para que o público possa ver tudo que aconteceu. Após o fim do seu pronunciamento, o vídeo segue com imagens da conversa que o jogador teve com a mulher pelo aplicativo, desde antes de ela deixar o Brasil. A conversa traz, entre conteúdos de conotação sexual, fotos íntimas enviadas por ela ao jogador e mensagens que, para Neymar, defendem a versão de que a relação foi consentida. As mensagens divulgadas param em 16 de maio, dia seguinte ao encontro, quando ela reclamava que estava à espera de Neymar. “Você não vem e tá dando mancada me deixando esperando”, dizia a última mensagem mostrada pelo jogador no vídeo.

Domingo, 2 de junho: polícia na Granja

Pela manhã, a Polícia Civil do Rio de Janeiro enviou uma viatura à Granja Comary, onde a seleção brasileira se concentra para a preparação da Copa América. O delegado da 110ª DP de Teresópolis, Rio de Janeiro, Bruno Gilaberte e um inspetor de polícia se encontraram com a administração da concentração da seleção, que confirmou a ausência do jogador, que estava de folga; ele chegaria horas depois de helicóptero. Procuravam o jogador para que prestasse esclarecimentos sobre a divulgação do conteúdo e das imagens divulgadas. Eles investigam se o fato pode ter violado o artigo 218 do Código Penal, que criminaliza a divulgação de imagens que façam apologia a sexo, nudez ou pornografia sem o consentimento da vítima.

Segunda-feira, 3 de junho

Na madrugada de segunda-feira, o Instagram retirou do ar o vídeo em que Neymar expôs a conversa com a mulher. Segundo a rede social, “o conteúdo foi removido por violar as diretrizes da comunidade do Instagram”, referindo-se às fotos expostas na conversa.

Neymar pai: "Prefiro um crime de internet ao de estupro. E sei que ela tem imagens"

Na manhã do mesmo dia, Neymar pai volta à Band, no programa Aqui na Band, para defender seu filho. Afirma que o jogador divulgou as conversas e as fotos porque não tinha escolha. “Eu prefiro um crime de internet ao de estupro. Ele preservou a imagem, o nome, e precisava se defender rapidamente. É melhor ser verdadeiro e mostrar o que aconteceu”. Ainda no programa, o pai do jogador revelou que houve um segundo encontro entre Neymar e a mulher no hotel em Paris. “Ela queria de qualquer jeito que ele fosse ao hotel de novo. Ele foi e ficou 10 minutos no segundo dia, quando viu o celular em pé na parede. Percebeu que estava filmando. Ela agride ele, ele se joga para a cama e tenta acalmar ela. Ele acalma ela, sai do hotel e emite a passagem do retorno. O Neymar também tentou filmar e gravar a conversa, mas ele erra tudo. Não consegue. Ali viu que podia ser uma armadilha. Depois desse segundo encontro eles não se falam mais, e ela mandou mensagens ameaçadoras depois”. O pai afirma saber que a mulher tem imagens: "ela mandou coisas para o Neymar dizendo que tem o vídeo. Seria importante ela soltar".

No fim da manhã do mesmo 3 de junho, o treinador da seleção brasileira Tite concedeu entrevista coletiva com o coordenador Edu Gaspar e o auxiliar Cleber Xavier. A grande maioria das perguntas se referia ao caso de Neymar. Tite afirmou que não vai julgar o atleta, com quem tem há três anos “uma relação transparente, verdadeira e leal”, mas ressaltou que ele é “tecnicamente imprescindível” e que “a seleção está acima de todos nós”. Edu Gaspar revelou que foi atrás de uma assessoria jurídica para auxiliar a CBF e o jogador.

Enquanto Tite dava entrevista coletiva, policiais da Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI) foram à Granja Comary para entregar uma intimação para que Neymar preste depoimento na sexta-feira (7 de junho) sobre a divulgação de fotos íntimas da mulher na internet.

Laudo médico

Durante a tarde da segunda-feira, é divulgado um relatório de um médico particular que avaliou a mulher no dia 21 de maio, seis dias após o episódio em Paris. O documento foi divulgado pela atual advogada dela, Yasmin Pastore Abdalla. No laudo estão relatados hematomas e arranhões nos glúteos, além de queixas apresentadas pela mulher, como dores no estômago após o episódio de estresse emocional. O diagnóstico do médico é de transtorno ansioso e depressivo, distúrbio estomacal e traumatismos superficiais não especificados. O doutor responsável, Luiz Eduardo Rossi Campedelli, é especialista em aparelho digestivo e confirmou a autoria do laudo ao Jornal Nacional.

Ex-advogado: "Você sempre afirmou que a relação com Neymar foi consensual"

Na noite desta segunda, 3 de junho, o advogado que defendia a mulher que acusa Neymar de estupro, José Edgar Bueno, afirma através de documento que a ex-cliente não manteve no BO registrado a versão dada por ela para os advogados sobre o ocorrido. Aos defensores, ela teria acusado Neymar de agressão e não de estupro. “[A] alegação [de estupro] é totalmente dissociada dos fatos descritos por você aos nossos sócios, já que sempre afirmou que a relação mantida com Neymar Jr. foi consensual, mas que, durante o ato, ele havia se tornado uma pessoa violenta, agredindo-a, sendo esse o fato típico central (agressão) pelo qual ele deveria ser responsabilizado cível e criminalmente”, diz o documento. A informação foi ao ar na edição do Jornal Nacional do dia. A atual advogada da suposta vítima, Yasmin Pastore Abdalla, respondeu mostrando uma troca de mensagens entre a cliente e Bueno na qual ela fala que o jogador “a espancou e estuprou”.

Próximos compromissos

Na noite desta terça-feira, 4 de junho, a delegação da seleção brasileira viaja para Brasília, onde enfrentará o Catar em amistoso preparatório para a Copa América na quarta-feira, dia 5 de junho, às 21h30. De acordo com o que Tite indicou em treinos e coletivas, Neymar deve ser escalado como titular nesta partida. Depois, o time deve seguir para Porto Alegre, sem passar por Rio de Janeiro ou São Paulo —cidades nas quais o jogador é investigado pelo crime das divulgações da imagem e pelo crime de estupro, respectivamente – para disputar o último amistoso antes da Copa América, no dia 9 de junho (domingo), contra Honduras. No entanto, Neymar deveria se apresentar na sexta-feira (7 de junho), no Rio, para prestar depoimento a DRCI.