Caso Neymar

“Neymar me virou e cometeu o ato. Pedi para ele parar, ele continuou”

Najila Mendes, que acusa o jogador de tê-la estuprado e agredido, falou pela primeira vez sobre as acusações ao SBT e afirmou que quer "justiça"

Najila Trindade em entrevista ao SBT.
Najila Trindade em entrevista ao SBT.

"Fui vítima de estupro", afirma a modelo e estudante de Design de Interiores Najila Trindade Mendes de Souza, que acusa o jogador Neymar de estupro e agressão. Najila falou pela primeira vez nesta quarta-feira ao programa SBT Brasil depois de que o Boletim de ocorrência sobre o caso foi divulgado pela imprensa brasileira no último sábado. Na entrevista, a jovem afirmou que foi violentada em 15 de maio, após ir a Paris para se encontrar com o atacante. "Fui para o hotel, ele mandou mensagem, disse que ia para uma festa, mas passaria lá para me dar um beijo. Quando chegou lá, estava tudo bem, mas ele estava agressivo, totalmente diferente do cara que eu conheci nas mensagens", contou Najila, que vinha trocado mensagens com o jogador no WhatsApp. "Como eu tinha muita vontade de ficar com ele, tentei manejar a situação. Começamos a trocar carícias, nos beijar e ele me despiu. Até aí, foi tudo consensual. Ele começou a me bater. No início foi ok, mas depois ele começou a me machucar muito. Eu falei 'para' e ele falou 'desculpa, linda'", continuou ela no relato.

MAIS INFORMAÇÕES

A partir deste momento, Najila diz que perguntou a Neymar se ele tinha preservativo e, diante da negativa do jogador, teria afirmado: "Então não vai acontecer nada". Ela conta que Neymar ficou em silêncio, o que ela interpretou como um acato à sua decisão, mas que minutos depois ele a agrediu. "Ele me virou e cometeu o ato. Pedi para ele parar, ele continuou. Enquanto ele cometia o ato, continuou batendo na minha bunda, violentamente". De acordo com a jovem, isso aconteceu em "questão de segundos". "Falei 'para, para, não'. Ele não se comunicava muito, ele só agia", afirma.

Na entrevista, a jovem conta que viajou a Paris com intenção de relacionar-se sexualmente com Neymar —"Era um desejo meu. Acho que ficou até claro para ele isso", diz—, mas ficou "decepcionada", "estarrecida" e "em estado de choque" com o ocorrido. "Ele não entrou em acordo comigo. Não negociou falando 'não, não trouxe [preservativo], mas estou afim'. A partir do segundo em que ele me virou, já estava me obrigando [a ter relação sexual]".

No dia seguinte, Najila seguiu trocando mensagens com o jogador. Em um vídeo que havia sido divulgado por Neymar, em que ele mostrava as conversas íntimas que manteve com ela, é possível ver que ele inicia a conversa no dia 16 enviando uma foto dela nua, de costas. Perguntada por que continuou trocando mensagens com o jogador depois de ter sofrido violência, Najila falou que queria "fazer justiça". "Eu tive que assimilar tudo, todo o acontecimento. Quando ele saiu do quarto e eu comecei a entender tudo o que tinha acontecido comigo e como ele foi estúpido, como ele me violou e violentou, quis fazer justiça. Eu sabia que se eu não falasse com ele novamente, fingindo que nada tinha acontecido, ele não iria falar comigo de novo e eu não iria conseguir provar o que ele tinha feito", ressaltou. "Eu quero justiça, ele me fez muito mal, estou muito traumatizada. Quero que ele pague pelo que ele fez", respondeu. Nesta terça-feira, a Record divulgou uma imagem que mostra um homem, que seria Neymar, deitado em uma cama com os pés levantados em direção à Najila. Ao programa, o pai do jogador, Neymar da Silva Santos, confirmou a veracidade da foto. “A imagem fala por si só. As pessoas conseguem ver que foi uma armadilha”, justificou. O pai de Neymar já havia confirmado que seu filho e a mulher haviam se encontrado uma segunda vez, por cerca de dez minutos. Segundo ele, ela teria o agredido e ele tentava se defender, quando viu que havia um celular gravando a cena.

Na entrevista ao SBT, a jovem negou que tenha tentado extorquir Neymar, como afirma o pai do jogador. Mas confirmou que seus antigos advogados procuraram os representantes do jogador, para expor a situação e que começou a desconfiar que seu defensor havia tentado extorquir Neymar quando não deixou que ela desse queixa. "Ele não estava acreditando totalmente em mim e senti preconceito. Ele deu a entender que [pensava] 'você não foi estuprada, você deu porque quis, então não vou falar em estupro, só em agressão porque é o que dá para provar", disse Najila.

Um laudo médico datado de 21 de maio e divulgado na segunda-feira apontou hematomas e arranhões nos glúteos da brasileira. Ela foi diagnosticada com transtorno ansioso e depressivo, distúrbio estomacal e traumatismos superficiais não especificados. 

No último sábado, 1º de junho, a imprensa brasileira divulgou o registro de um Boletim de Ocorrência feito na 6ª Delegacia de Defesa da Mulher em São Paulo no dia anterior, no qual a modelo acusa o jogador de estupro. O episódio, segundo ela, aconteceu em 15 de maio em um hotel em Paris, onde o atacante joga pelo Paris Saint Germain. No documento, Najila já havia contado que ela e o jogador teriam se conhecido através do Instagram, onde trocaram mensagens, e Neymar a convidou para uma visita à capital francesa, oferecendo passagens e hospedagem. Ela conta que um assessor do jogador, chamado Gallo, resolveu os detalhes da viagem até ela chegar na cidade, no dia 15 de maio, e se hospedar no Hotel Sofitel Paris Arc Du Triomphe. Neymar teria chegado ao hotel de noite, “aparentemente embriagado” e, segundo relato da mulher, ambos teriam conversado e trocado carícias, mas o jogador ficou agressivo e praticou relação sexual contra a vontade dela. A brasileira voltou ao Brasil dois dias depois e não denunciou imediatamente porque estava “abalada emocionalmente e com medo de registrar os fatos em outro país”, explicou.

No mesmo dia em que o B.O. foi publicado, Neymar da Silva Santos, pai do jogador, confirmou que o filho se encontrou com a modelo, mas que a relação entre os dois foi consentida. “A gente está calejado com isso. Agora vamos mostrar a verdade”, disse. Falou também que esperava o B.O., uma vez que Neymar teria terminado a relação com a mulher e sofrido uma tentativa de extorsão relacionada com o caso, e prometeu entrar na Justiça contra ela. Horas depois, Neymar postou no Instagram um vídeo defendendo-se da acusação e dizendo-se vítima de uma "armadilha". Ele alega que quem o conhece sabe que jamais faria “uma coisa desse tipo” e avisa que vai expor toda a conversa que teve com a mulher através do WhatsApp para que o público possa ver tudo que aconteceu. Após o fim do seu pronunciamento, o vídeo segue com imagens da conversa que o jogador teve com a mulher pelo aplicativo, desde antes de ela deixar o Brasil. A conversa traz, entre conteúdos de conotação sexual, fotos íntimas enviadas por ela ao jogador e mensagens que, para Neymar, defendem a versão de que a relação foi consentida. As mensagens divulgadas param em 16 de maio, dia seguinte ao encontro, quando ela reclamava que estava à espera de Neymar. “Você não vem e tá dando mancada me deixando esperando”, dizia a última mensagem mostrada pelo jogador no vídeo. 

No domingo, 2 de junho, a Polícia Civil do Rio de Janeiro compareceu à Granja Comary, onde a seleção brasileira se concentra, em busca de Neymar para que ele prestasse esclarecimentos sobre o conteúdo e as imagens divulgadas. Eles investigam se o fato pode ter violado o artigo 218 do Código Penal, que criminaliza a divulgação de imagens que façam apologia a sexo, nudez ou pornografia sem o consentimento da vítima.  Na segunda-feira, 3 de junho, o Instagram retirou o vídeo do jogador do ar.  

Arquivado Em: