Prêmios Nobel 2017

Nobel da Paz 2017 vai para campanha internacional para proibir armas nucleares

A ICAN venceu 318 candidaturas, 217 individuais e 103 de organizações

ICAN, Campanha Internacional para proibir as armas nucleares, Nobel da Paz 2017
ICAN, Campanha Internacional para proibir as armas nucleares, Nobel da Paz 2017FABRICE COFFRINI (AFP)

A campanha internacional para proibir as armas nucleares (ICAN, na sigla em inglês) recebeu nesta sexta-feira o Prêmio Nobel da Paz de 2017. Trata-se de uma coalizão de organizações não governamentais de cerca de 100 países. "O Prêmio da Paz de 2017 pede que os Estados nucleares iniciem as negociações para a eliminação gradual de 15.000 armas nucleares em todo o mundo", afirmou o comitê norueguês. "A ICAN tem sido o principal agente da sociedade civil nos esforços para obter uma proibição das armas nucleares sob o direito internacional", acrescenta.

Mais informações

A organização recebe o prêmio por seu trabalho em chamar a atenção para as consequências catastróficas do uso de armas nucleares e por seus esforços para chegar a um tratado que proíba esse tipo de armas. O comitê norueguês fez sua escolha este ano entre 318 candidaturas, sendo 217 individuais e 103 de organizações. O ganhador sucede o presidente colombiano, Juan Manuel Santos, destacado por seus "esforços decididos" em levar a paz a seu país após 52 anos de conflito armado.

O Prêmio Nobel da Paz é o único dos seis prêmios outorgado e entregue fora da Suécia. Isso ocorre por desejo expresso de Alfred Nobel, já que, em sua época, a Noruega fazia parte do reino sueco. Segundo deixou escrito em seu testamento, o Nobel da Paz deve reconhecer aqueles que contribuam para "o entendimento entre os povos e a eliminação ou a redução de armamentos, assim como formar ou impulsionar convenções de paz".

Entre os 217 indivíduos e as 103 organizações indicadas, os favoritos entre os especialistas e as casas de aposta este ano foram o acordo nuclear iraniano, os voluntários sírios de Defesa Civil, a Agência da ONU para os Refugiados (ACNUR), o papa Francisco, a União para as Liberdades Civis na América (ACLU) e Can Dündar, ex-redator-chefe do jornal turco Cumhuriyet.

O comitê não confirma os nomes dos candidatos até que se passem 50 anos das indicações e só torna público o número total de aspirantes – 318 este ano. Além disso, nesta ocasião, a escolha representa a estreia de Berit Reiss Andersen à frente do comitê que elege o premiado. Até hoje foram entregues 97 prêmios Nobel da Paz, 16 deles a mulheres. A idade média dos agraciados é de 62 anos. De todos eles, apenas o político vietnamita Le Duc Tho recusou o prêmio.

Ao longo da semana foi concedida grande parte dos prêmios Nobel. O de Medicina foi dado aos cientistas envolvidos na descoberta do "relógio interno" do corpo humano, o de Física para os pesquisadores que trabalham com o detector de ondas gravitacionais, e o de Química para os cientistas que desenvolveram um método para observar a vida privada das moléculas. Na quinta-feira, o Nobel de Literatura foi anunciado para o escritor britânico Kazuo Ishiguro, de 62 anos. Na próxima segunda-feira, será revelado o ganhador do Nobel de Economia, o último deste ano.