Seleccione Edição
Login

Real Madrid demite Lopetegui e anuncia Solari como treinador interino

Após goleada contra o Barça, treinador é dispensado pelo clube, que está apenas em nono lugar na Liga e sofreu duas rescisões de contrato em menos de cinco meses

Julen Lopetegui, durante o clássico do domingo no Camp Nou.
Julen Lopetegui, durante o clássico do domingo no Camp Nou. PRESSINPHOTO/GTRES

O Real Madrid anunciou nesta segunda-feira a demissão do técnico Julen Lopetegui. A sequência de maus resultados encadeados durante o início da temporada, especialmente nas últimas semanas, precipitou a dispensa do treinador basco, sentenciada depois que a equipe sofreu uma dura derrota no clássico do Camp Nou (5 a 1) diante do Barcelona. Santiago Solari, até agora técnico do Castilla, a filial do Real Madrid, assumiu o cargo no time principal de forma “provisória”, segundo o comunicado divulgado pelo Real.

“A Diretoria entende que existe uma grande desproporção entre a qualidade do elenco do Real Madrid, que conta com oito jogadores indicados à próxima Bola de Ouro, algo sem precedentes na história do clube, e os resultados obtidos até o momento”, diz o comunicado oficial.

O time joga nesta quarta-feira contra o Melilla, no jogo de ida da segunda fase da Copa do Rei. Segundo o regulamento da Federação Espanhola, um treinador só pode ocupar o cargo de maneira interina durante 14 dias. Transcorrido esse tempo, precisa ser oficializado como treinador principal, ou deixar o posto. Enquanto isso, o clube presidido por Florentino Pérez estuda a contratação do italiano Antonio Conte, ex-técnico da Juventus, do Chelsea e da seleção italiana, embora as negociações tenham parado nas últimas horas.

A saída de Lopetegui ocorre num momento em que o Real ocupa o nono lugar no Campeonato Espanhol, a sete pontos do líder Barcelona, e tendo perdido 4 jogos nas 10 primeiras rodadas, com um fraquíssimo saldo de gols (14 marcados e 14 sofridos). Nos cinco últimos compromissos da liga, os merengues perderam quatro (3 a 0 contra o Sevilla, 1 a 0 contra o Alavés, 1 a 2 em casa contra o Levante e a goleada do Camp Nou) e só conseguiu arrancar um empate (0 a 0) no dérbi madrilenho contra o Atlético de Madrid, no Bernabéu.

Além disso, o Real não pôde com o Atlético no primeiro confronto da temporada, a Supercopa da Europa (2 a 4), e na Liga de Campeões o percurso foi irregular até agora, com uma derrota contra o CSKA (1 a 0), uma vitória apertada sobre o Viktoria Plzen (2 a 1) e apenas uma noite tranquila, contra a Roma (3 a 0). A essa fragilidade nos resultados se une o desacerto ofensivo da equipe, e consequentemente as vaias no Santiago Bernabéu, além da divisão do vestiário em torno do agora ex-treinador, protegido por um setor do elenco e rejeitado por outro.

Em menos de cinco meses, Lopetegui foi demitido da seleção espanhola e do Real Madrid. Depois de um percurso brilhante durante a fase de classificação para a Copa do Mundo da Rússia, a Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF) o dispensou às vésperas do torneio, após saber que o clube madrilenho havia selado sua contratação para substituir o francês Zinedine Zidane, em 12 de junho. A RFEF rescindiu unilateralmente seu contrato, e o técnico assinou por três temporadas com o clube madrilenho, à razão de aproximadamente seis milhões de euros (25,2 milhões de reais) cada uma delas.

Santiago Solari, em um jogo do Castilla.
Santiago Solari, em um jogo do Castilla. EL PAÍS

De entrada, Lopetegui (52 anos) herdou um Real diminuído pela saída de Cristiano Ronaldo, com a punição que isso acarreta em termos de artilharia, e em troca o clube só ofereceu três novas contratações: um goleiro (Courtois), um lateral direito (Odriozola) e um atacante reaproveitado na última hora (Mariano Díaz). Também trouxe por um valor estelar (45 milhões de euros, ou 190 milhões de reais) o jovem brasileiro Vinícius Júnior, mas este mal foi aproveitado na equipe principal (12 minutos), e foi deixado no Castilla para ganhar experiência.

“Já sabemos como funciona o mundo do futebol”, disse Lopetegui no domingo na sala de imprensa do Camp Nou. “As responsabilidades recaem sobre o treinador... Mas não sou estúpido”, adicionou o basco, insinuando veladamente nas entrelinhas que o time vem sentindo falta da pegada de Ronaldo. “Se no futebol deste nível você não aproveita as ocasiões e é contundente, paga o preço. As áreas definem o futebol”, sentenciou o basco antes de se dirigir à porta de saída.

MAIS INFORMAÇÕES