BILL COSBY

Condenado por agressão sexual, Bill Cosby ficará preso entre três e dez anos

Em abril, comediante foi considerado culpado de drogar e abusar da ex-jogadora de basquete Andrea Constand em sua mansão na Filadélfia, em 2004

O comediante Bill Cosby, nesta segunda-feira depois de sua chegada a um tribunal da Pensilvânia.
O comediante Bill Cosby, nesta segunda-feira depois de sua chegada a um tribunal da Pensilvânia.

Bill Cosby se tornou a primeira celebridade da era Me Too a ir para a prisão por abusar uma mulher, Andrea Constand, que drogou e atacou sexualmente há mais de 14 anos. Um juiz de Norristown (Pensilvânia), Steve O’Neill, condenou o comediante, conhecido como o Pai da América, a uma pena de três a dez anos de cadeia. O ator podia pegar 10 anos por cada um dos três crimes de agressão sexual dos quais foi acusado. A promotoria pediu de cinco a dez anos atrás das grades. O magistrado levou em conta a idade de Cosby, 81 anos, e o fato de ele não ter antecedentes. O’Neill chamou o comediante de “predador sexual violento”, como a acusação o descreveu durante o julgamento.

Mais informações

O ator negou as acusações e argumenta que todas as relações foram consentidas, razão pela qual se supõe que recorrerá da sentença. Com esta condenação cai um mito. Cosby foi durante meio século um pilar da cultura popular dos EUA. O comediante afro-americano conseguiu romper barreiras raciais que dominavam Hollywood depois de fechar um acordo com a NBC para produzir sua própria série. Representava o puro sonho americano ao demonstrar que com talento e esforço se pode chegar muito longe, independentemente da classe social e da cor da pele.

Tudo isso desmorona agora, depois de quatro anos de esforços nos tribunais. Cosby conseguiu que o primeiro julgamento contra ele fosse declarado nulo e sem efeito porque o júri não chegou a um acordo. Não teve a mesma sorte no segundo e em abril foi declarado culpado por três crimes puníveis com dez anos cada um. As acusações são penetração sem consentimento, penetração enquanto se está inconsciente e penetração depois do fornecimento de uma droga.

Tudo aconteceu em sua mansão nos subúrbios de Filadélfia, em janeiro de 2004. A ex-jogadora de basquete Costand disse que em uma noite no início daquele ano Cosby a convidou para ir à casa dele e deu-lhe algumas pílulas que a deixaram enjoada e permitiram que o artista abusasse dela.

Mais de 60 mulheres acusaram o comediante de abusar sexualmente delas entre 1960 e 2000, embora todos os casos –exceto o de Constand– não tenham ido adiante, pois prescreveram. Cosby e Constand se conheceram na Universidade de Temple, quando ela trabalhava como administradora da equipe de basquete. Ela o considerava como um mentor e ficaram de conversar sobre sua carreira. Mas como a acusação provou durante o julgamento, o ator aproveitava seu carisma e influência para cativar suas vítimas antes de agredi-las.

Uma psicóloga do conselho que avalia esse tipo de comportamento explicou na audiência prévia à sentença que Cosby tem um desejo incontrolável de estuprar mulheres jovens e advertiu o juiz que poderia fazê-lo novamente caso surgisse a oportunidade. Kristen Dudley explicou a esse respeito que, no caso do ator, existe um padrão claro. O acusado se recusou a ser avaliado por ela.

A figura de Cosby e sua legenda começaram a afundar em dezembro de 2015, quando a Promotoria de Norristown decidiu apresentar acusações contra o comediante antes que a denúncia de Constand prescrevesse. Isso permitiu que surgissem novas evidências que confirmavam que houve uma violação. Mas a ex-administradora do time de basquete da Universidade de Temple era apenas uma das 62 vítimas.

Cinco delas tiveram a oportunidade de depor durante o segundo julgamento, na primavera. Elas detalharam como Bill Cosby as drogou e as agrediu sexualmente enquanto estavam imóveis, depois terem perdido a consciência. Entre o público da audiência estavam Lili Bernard Janice Dickinson, Lise-Lotte Lublin, Therese Serignese e Victoria Valentino, entre outras mulheres que deram o passo à frente.

Antes da audiência, Andrea Constand postou uma mensagem no Twitter citando um versículo da Bíblia, que dizia: “Irai-vos, e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira; nem deis lugar ao Diabo”. A promotoria esperava a intervenção de outras vítimas diante do tribunal nesta segunda-feira, mas o juiz decidiu que o depoimento delas não mudaria os termos da sentença.