Festa Literária Internacional de Paraty

Flip 2018: a cobertura completa da 16ª Festa Literária de Paraty

Acompanhe a cobertura completa do EL PAÍS sobre o maior festival internacional de literatura realizado no Brasil

Autores que participam da Flip 2018
Autores que participam da Flip 2018Divulgação (site Flip)

Mais informações

A Festa Literária Internacional de Paraty (Flip), principal evento internacional dedicado à literatura no Brasil, aconteceu de quarta a domingo, 25 a 29 de julho. Sob a curadoria da historiadora e jornalista cultural Joselia Aguiar, a Flip 2018 homenageia a escritora Hilda Hilst (Hilda de Almeida Prado Hilst, 1930-2004), que explorou gêneros como poesia, ficção, teatro e crônica, em torno de temas como o amor, o sexo, a morte, Deus, a finitude das coisas e a transcendência da alma.

A reunião de sua obra poética, Da poesia, foi publicada neste ano pela editora Companhia das Letras, que tem uma série de publicações sobre a autora previstas para 2018, como Da prosa; a adaptação para quadrinhos de A obscena senhora D. (Laura Lannes); uma coletânea ilustrada de poesias de amor e a edição de Amavisse, uma série de vinte poemas publicada pela primeira vez em 1989. Em 2019, a Companhia lançará uma trilogia erótica e, em 2020, a biografia da autora.

Mais informações

Em homenagem a escritora, o EL PAÍS realizou uma corrente semanal, em que uma poeta ou um poeta indicou o trabalho de outro: Pare e leia um poema #1: uma corrente lírica para Hilda Hilst (veja ao lado).

Em 2017, a Flip 2017 homenageou o escritor brasileiro Lima Barreto (Rio de Janeiro, 1881-1922), autor do romance O triste fim de Policarpo Quaresma, entre outros. Relembre aqui a cobertura do El País.

Acompanhe a cobertura da Flip 2018

Um sarau para Hilda Hilst (antes que Paraty vire parada eleitoral)

Flip começa com Fernanda Montenegro encarnando a homenageada da festa. Pré-candidatos à presidência farão campanha nos eventos paralelos

“Se conseguirmos a lei do aborto, não será vitória de Macri, mas das feministas”

Na Flip, escritora argentina Selva Almada fala sobre feminicídio, literatura e jornalismo. Senado do país vota legalização do aborto em 8 de agosto

“Compreendi o racismo sozinha, de acordo com o exemplo de Cristo, com o que lia na literatura”

Escritora portuguesa Isabela Figueiredo, que fala na Flip no sábado, comenta sua trajetória de "retornada" de Moçambique e a centralidade do corpo na sua obra

Joselia Aguiar: “Esta será uma Flip voltada para o mundo de dentro: amor, morte, Deus”

Responsável por criar uma programação mais diversa do encontro literário, curadora conta sobre as escolhas para o evento este ano, que começa dia 25 de julho

“O stalinismo ainda perdura”

Simon Sebag Montefiore, grande especialista em Rússia que publicou uma história da dinastia Romanov, participa da Flip deste ano

Colson Whitehead: “Os EUA ainda não assumiram o episódio da escravidão”

Convidado da Flip, escritor recria a fuga à liberdade de uma afro-americana no século XIX

‘Garotas Mortas’: O machismo e a filosofia do garfo

Em ‘Garotas Mortas’, a argentina Selva Almada aborda a violência machista sem demagogia

Os negros como protagonistas na literatura num país de maioria negra

Editora Malê reúne autores negros para mudar a realidade do mercado que os retrata como bandidos, empregados ou escravos, e onde só 2,5% de romancistas eram negros até 2014

Maria Teresa Horta: “Os fascistas estão por aí com suásticas tatuadas a olhar para nós”

A escritora portuguesa, convidada da Flip, teve a poesia como arma contra o fascismo. Aos 81 anos, produz como na juventude, até quando a inspiração lhe acorda no meio da noite

Leila Slimani: “Não se deve ignorar que a miséria provoca violência e loucura”

Um dos principais nomes da literatura em francês, marroquina é convidada da Flip deste ano