Flip 2018

Pare e leia um poema #4 uma corrente lírica para Hilda Hilst

EL PAÍS encadeia poemas em homenagem à poeta. Nesta quarta semana, Ricardo Aleixo indica Eliane Marques

Faltando uma semana para o início da Festa Literária Internacional de Paraty (Flip), no dia 25 de julho, EL PAÍS publica o quarto poema da corrente lírica Hilda Hilst, poeta homenageada no evento literário. Indicada pela curadora da Flip, Joselia Aguiar, Josely Vianna Baptista começou a corrente que passou para Antonio Risério, Ricardo Aleixo e agora chega na poeta gaúcha Eliane Marques. Sem título, o texto faz parte do livro e se alguém o pano, publicado pela Escola de Poesia, que, coordenada por Marques, organiza grupos de estudo de poesia, realiza leituras, oficinas e publica autores. Na próxima semana, a corrente literária se encerra (pelo menos por enquanto) com o início da Flip.

Mais informações

resta na medula das coisas

ali onde sobram em conluio

os sapatos

se pudesse fraturá-las

deitá-las sobre a cama

se o crime alguém o intentasse somente com o pranto

mas tem lá o seu cavalo mouro um lenço para as louças

e outro (mais curto) às canecas de estanho

a negrinha dada aos serviços da casa

corpo que se aquieta no tropel dos infantes

corpo a quem se indefere

o bilhete de passagem

um corpo pequeno um corpo estranho

ao seu braço não basta a cabeça de piolhos

esmagá-los como castanha

esse braço dado aos serviços dos outros

tem lá o seu cavalo mouro seu ruído entre os zimbros

tem lá o seu cavalo mouro seu cheiro de crina

contra a força que se impõe às insistências do morto

a negrinha braço da casa

louça partida entre tantos

a negrinha dada aos serviços da casa

tem lá o seu cavalo mouro

eu disse: tem lá o seu cavalo mouro

Eliane Marques, nascida em 1971, é gaúcha de Sant'Anna do Livramento, cidade fronteiriça entre Brasil e Uruguai. Marques tem formação em Pedagogia e Direito e atua como auditora pública do tribunal de contas do Rio Grande do Sul. De formação ampla, a poeta ainda estuda psicanálise e coordena a Escola de Poesia, vinculada à instituição de psicanálise Après Coup Porto Alegre Psicanálise e Poesia. Hoje em Porto Alegre, Marques ainda edita a revista Ovo da Ema. Seu primeiro livro de poesia, Relicário, foi publicado em 2009. Já e se alguém o pano, de 2015, ganhou o Prêmio Açorianos de Literatura (categoria poesia -2016), organizado pela prefeitura da capital gaúcha.

Debido a las excepcionales circunstancias, EL PAÍS está ofreciendo gratuitamente todos sus contenidos digitales. La información relativa al coronavirus seguirá en abierto mientras persista la gravedad de la crisis.

Decenas de periodistas trabajan sin descanso para llevarte la cobertura más rigurosa y cumplir con su misión de servicio público. Si quieres apoyar nuestro periodismo puedes hacerlo aquí por 1 euro el primer mes (a partir de junio 10 euros). Suscríbete a los hechos.

Suscríbete