Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Willian ressurge, Neymar deslancha e o Brasil despacha o México

Após segurar pressão mexicana, seleção brasileira constrói resultado no segundo tempo e avança às quartas de final com autoridade

Brasil vence Mexico oitavas Copa do Mundo Neymar
Willian e Neymar foram os destaques do Brasil contra o México. Reuters

O Brasil derrotou o México por 2 a 0 nesta segunda-feira, em Samara, pelas oitavas de final da Copa do Mundo Rússia 2018. Os gols da vitória saíram no segundo tempo, com Neymar e Roberto Firmino. Agora, nas quartas de final, a seleção enfrenta a Bélgica, que venceu o Japão de virada.

No primeiro tempo, a seleção mexicana partiu para o ataque, bem ao estilo do técnico Juan Carlos Osorio. Explorando a velocidade de Carlos Vela e Guardado pela esquerda, deu trabalho ao sistema defensivo de Tite, mas só conseguiu finalizar uma vez no gol de Alisson. Com dificuldades para sair jogando e ditar o ritmo da partida, o Brasil também se expunha aos contra-ataques após escanteios no campo ofensivo, já que Osorio costuma posicionar apenas quatro defensores em sua área para reforçar a segunda bola e encaixar contragolpes. Tite, então, mudou o esquema, alinhando Paulinho e Casemiro no 4-4-2. Aos poucos, a seleção controlou o ímpeto dos mexicanos e criou as melhores oportunidades com Philippe Coutinho, Gabriel Jesus e Neymar, que, aos 24 minutos, parou em arrojada defesa do goleiro Ochoa.

Para a etapa final, Osorio tirou o veterano Rafa Márquez e colocou Layún, buscando dar mais mobilidade ao meio-campo. Porém, foi a seleção brasileira quem voltou em ritmo acelerado do intervalo. Coutinho parou em Ochoa. Aos 6 minutos, entretanto, a muralha mexicana nada pode fazer depois que Neymar rolou de calcanhar para Willian, que cortou para a canhota e bateu cruzado. O camisa 10 apareceu no segundo pau, empurrando para as redes. Superou Cristiano Ronaldo e Messi ao marcar seu primeiro gol em um mata-mata de Copa.

Willian, por sinal, teve sua melhor atuação no Mundial, sobretudo no segundo tempo. Arriscou mais jogadas individuais pela linha de fundo e não ficou preso ao lado direito, tanto que, no lance do gol, ele se movimenta do meio para a esquerda. Fez jus ao apelido de “Foguetinho”, acelerando no tempo certo e, como sempre, ajudando Fagner na recomposição defensiva. Já Neymar se mostrou novamente mais objetivo. Resistiu à provocação dos mexicanos, a ponto de levar um pisão de Layún. É o jogador que mais recebeu faltas (23) neste Mundial. Valorizou algumas delas, é verdade, mas nada que lembrasse a postura descompensada que exibiu diante da Costa Rica. Além de iniciar a jogada em que abriu o placar, ele ainda deu assistência para Firmino, que havia entrado no lugar de Coutinho, fechar a conta aos 43 minutos. Foi eleito o melhor jogador da partida.

Como de praxe, a defesa brasileira, comandada pelo capitão Thiago Silva, reluziu solidez e soube administrar a agressividade do ataque mexicano. Apesar de ter sobressaído na posse de bola (54% x 46%), a equipe de Osorio só conseguiu finalizar uma vez em direção à meta de Alisson. Os laterais Fagner e Filipe Luís, que ficou com a vaga de Marcelo, sofreram para marcar os pontas Lozano e Vela, mas deram conta do recado. Casemiro, o pilar do meio-campo, levou seu segundo cartão amarelo na competição e está fora das quartas. Fernandinho deve ser o substituto.

Essa é a quarta vitória do Brasil sobre o México em cinco jogos de Copas do Mundo  o outro duelo, em 2014, terminou empatado. No histórico do confronto em Mundiais, a seleção soma 14 gols e jamais foi vazada pelos mexicanos, que caíram na fase de oitavas pela sétima vez desde 1986. O próximo jogo do Brasil, contra os belgas, será em Kazan, na próxima sexta-feira, às 15h (horário de Brasília).

Veja como contamos o duelo Brasil x México, minuto a minuto:

MAIS INFORMAÇÕES