Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Anfitriã do Airbnb recebe multa de 5.000 dólares por racismo nos EUA

“Uma palavra diz tudo. Asiática”. Com essa mensagem, mulher cancelou de última hora uma reserva

racismo no AirBnB
Dyne Suh, no vídeo original da TV local KTLA.

Uma noite de cão, amigos na estrada, um mal-entendido sobre o preço de uma casa alugada no Airbnb. Talvez um desses momentos de tensão no qual vem à tona os demônios de cada um. A dona da casa não conseguiu se conter e soltou: “Não alugaria para você nem que fosse a última pessoa sobre a Terra. Uma palavra diz tudo. Asiática”.

Aconteceu na noite de 17 de fevereiro passado. Resolveu-se definitivamente na quinta-feira passada, 13 de julho, quando o Departamento de Emprego e Hospedagem Justa da Califórnia chegou a um acordo com esta senhora pelo qual ela concordou em pagar uma multa de 5.000 dólares, escrever um pedido pessoal de desculpas para a cliente insultada, frequentar um curso universitário de estudos asiáticos americanos, participar de um painel de educação comunitária, fazer trabalhos voluntários em alguma organização de direitos humanos e comunicar ao Departamento qualquer informação sobre seus aluguéis durante quatro anos.

Isso, do lado oficial. Além de tudo, o Airbnb a vetou para sempre em sua plataforma de locação.

Voltemos àquela noite. Na sexta-feira, 17 de fevereiro, uma jovem chamada Dyne Suh, estudante de Direito da Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA) ia com três amigos passar a noite em Big Bear, montanha a uma hora a leste de Los Angeles. Tinham alugado uma casa pelo Airbnb. A estrada estava um desastre. No inverno, a chuva e neve nas montanhas da Califórnia foram tão intensas que acabaram com cinco anos de seca.

No meio da noite, quando já estavam “a três minutos da casa”, segundo contou Suh em sua página no Facebook naquele momento, a dona cancelou a reserva deles “por racismo puro e simples”.

Suh garante que fez a reserva um mês antes para duas pessoas. Antes de subir, perguntou à dona, identificada como Tami Barker, se poderiam ir mais dois amigos com dois cachorros, pagando o complemento que fosse necessário. A dona disse que não havia problema. Mas no momento em que disse que estava a caminho e perguntou se podiam pagar em dinheiro, Barker respondeu que não podiam ficar de maneira nenhuma. Estavam na frente da casa, à noite, no meio da maior precipitação de neve que a Califórnia viu em anos.

A conversa, que foi escrita no sistema de mensagens do aplicativo do Airbnb, continua com a dona dizendo: “Se você acha que com quatro pessoas e dois cachorros vão conseguir uma casa em Big Bear por 50 dólares na noite do fim de semana mais movimentado do ano, você está completamente drogada”. Suh diz a ela que vai contactar o Airbnb imediatamente. “Acabou”, diz Barker. E acrescenta: “Você é uma trapaceira”.

Então, Suh lembra a ela que foi ela quem concordou por escrito com os dois hóspedes extras. E a resposta, em duas mensagens, foi: “Não alugaria para você mesmo que fosse a última pessoa sobre a Terra. Uma palavra diz tudo. Asiática”. E continua “Querem algo em troca de nada”. E não termina aí. Quando Suh diz que vai entrar em contato imediatamente com o Airbnb, a mulher solta: “Para isso temos Trump”, em referência ao presidente dos Estados Unidos. Suh é cidadã norte-americana.

Tudo isso está no YouTube e no Facebook. Por acaso, foi acontecer bem ao lado de uma equipe de televisão da emissora local KTLA. O repórter Steve Kujzlos a entrevistou ali mesmo por telefone e fez uma matéria sobre o assunto alguns dias depois. O vídeo no qual Suh conta o que acaba de acontecer com ela, chorando no meio da nevasca, foi visto milhões de vezes no YouTube e foi o que abriu caminho para a investigação do Governo californiano, porque na Califórnia há uma multa mínima de 4.000 dólares por discriminação em hospedagem.

Na quinta-feira, Suh publicou em sua página do Facebook que está “muito feliz que a solução deste caso inclua frequentar um curso de estudos asiático-americanos”. “Espero que mais vítimas de discriminação se animem a contar suas próprias histórias.”

O acordo alcançado na quinta-feira é a primeira multa do Departamento de Emprego e Hospedagem Justa contra um anfitrião do Airbnb. Segundo o comunicado oficial, a companhia se comprometeu este ano com o Departamento a investigar alguns de seus anfitriões e comunicar os clientes que tenham queixas desse tipo que podem recorrer ao Governo californiano.

MAIS INFORMAÇÕES