FEMINISMO

Mulheres protestam contra Cunha pela terceira vez em duas semanas

Em São Paulo e no Rio, manifestantes voltaram às ruas nesta quinta contra PL 5069. Texto, em tramitação na Câmara, complica o acesso das mulheres ao aborto legal no Brasil

Pela terceira vez em duas semanas, as mulheres voltaram às ruas nesta quinta-feira para protestar contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), um dos autores do projeto de lei (PL 5069) que cria novas regras para o atendimento a vítimas de abuso sexual. Na prática, o texto dificulta o acesso ao aborto legalmente permitido no Brasil. Em São Paulo, o ato, que reuniu cerca de 2000 pessoas, segundo organizadoras do movimento, teve a presença de mães acompanhadas de suas filhas e também protesto em frente à Secretaria de Educação do Estado que tem um plano de reorganização de escolas no estado. No Rio de Janeiro, a marcha acabou na Cinelândia e também prestou uma homenagem às mulheres mortas após realizarem abortos inseguros – em 2014, dois casos chocantes aconteceram, em apenas um mês, na cidade.

Leia análises e reportagens sobre o tema e veja quais foram os principais momentos dos atos.