Um mural em homenagem à vereadora Marielle Franco.

Federalização do caso Marielle Franco tem oposição de Moro e segue indefinida no STJ

Governador Witzel defende ação que matou o miliciano Adriano da Nóbrega, que tinha ligação com o senador Flávio Bolsonaro. Presidente se cala sobre o tema

Policiais militares revistam um jovem em uma favela do Rio de Janeiro.

Recorde de mortes por policiais e a queda de homicídios no Rio são fenômenos desconectados

Especialistas em segurança pública ponderam que a letalidade dos agentes e a diminuição de crimes são fenômenos desconectados

Lucas Santos em treino com a seleção brasileira.

Lucas Santos: “Saí da favela, mas não posso ficar alienado enquanto matam negros e pobres”

Promessa do futebol brasileiro e cria da comunidade Para-Pedro, no Rio, o atacante que joga na Rússia se inspira em ativistas negros para contestar a violência policial em sua cidade

Vanessa Francisco Sales leva uma boneca que foi de sua filha, Ágatha Félix. Está de mãos dadas com Adegilson Félix, seu marido e pai da menina, durante o velório.

Tiro que matou a menina Ágatha partiu de PM “sob forte tensão”, diz inquérito

Após ouvir testemunhas e fazer perícias e a reconstituição do crime, Polícia Civil indicia agente por homicídio doloso. Acusado teria tentando atingir dois homens em uma moto, mas o projétil ricocheteou e matou a garota

Witzel com Rodolfo Landim (à esq.), Bolsonaro e Rodrigo Amorim (à dir.): clube se aproxima de políticos ultraconservadores.

Como o Flamengo se tornou instrumento da extrema direita

Afagados por dirigentes, Bolsonaro, Witzel e correligionários surfam na euforia em torno da boa fase do clube mais popular do país. Diretoria se diz apolítica, mas negou homenagem a vítima da ditadura

Witzel e Bolsonaro participam de cerimônia de integração do submarino Humaitá, no dia 11 de outubro.

Perguntas com e ainda sem resposta sobre a menção de Bolsonaro no caso Marielle

MP do Rio diz que gravações contradizem depoimento do porteiro. Por que Aras diz ter arquivado o caso apenas "provavelmente" nesta quarta? Por que Witzel sabia do fala de funcionário?

Bolsonaro na Arábia Saudita.

Nome de Bolsonaro aparece em investigação do caso Marielle, que pode ir para o STF

Segundo 'JN', porteiro disse em depoimento que acusado de matar vereadora buscou presidente em seu condomínio no Rio no dia do crime. Mandatário ataca TV Globo e Witzel

Bolsonaro em apresentação para investidores em Riad, Arábia Saudita

Bolsonaro convoca Moro em caso Marielle e acusa Witzel de querer desgastá-lo por sucessão em 2022

Do exterior, presidente diz que vai acionar ministro da Justiça para esclarecer depoimento do porteiro do seu condomínio que diz ter ligado para sua casa no dia da morte de Marielle para autorizar a entrada de Élcio Queiroz, preso este ano pelo assassinato da vereadora

Protesto no Rio de Janeiro após a morte da menina Ágatha Félix.

É possível derrotar a guerra aos pobres

Os partidos do campo democrático devem estimular um amplo debate em torno de saídas para a crise social que atinge o país

Protesto no Rio de Janeiro após a morte de Ágatha Félix

Como vocês se atrevem?

Greta Thunberg e Ágatha Félix: as infâncias morrem junto com as democracias

“A radicalização sustenta o protagonismo de Bolsonaro na direita”

Para a cientista política Isabela Kalil, presidente tende a apelar cada vez mais aos discursos radicais com Doria e Witzel no encalço para conquistar seus eleitores

Moradores do Complexo do Alemão protestam durante o cortejo do corpo da menina Ágatha Félix, 8 anos, neste domingo. Na faixa, o protesto:

Ágatha, Raoni e Marielle: a realidade que ameaça abafar a voz de Bolsonaro na ONU

Entidade internacional usou a imagem da Mulher Maravilha para promover o direito das mulheres e meninas pelo mundo. A fantasia, porém, não salvou Ágatha da política pública de extermínio no Brasil

Familiares e manifestantes acompanham o enterro Ágatha Félix, no dia 22 de setembro.

As lágrimas por Ágatha no Complexo do Alemão, onde crianças se habituaram a fugir de tiros

Velório de menina de oito anos, morta com um tiro de fuzil nas costas durante operação policial, reúne centenas de moradores, ativistas e artistas no Rio. "Nossa luta só está começando", discursa o avô

Ágatha Félix, 8 anos

Ágatha Félix, 8, a mais nova vítima da violência armada que já atingiu 16 crianças no Rio neste ano

Menina morreu na noite de sexta, com um tiro nas costas, quando estava dentro de uma kombi no Complexo do Alemão, zona norte da cidade

O hospital Badim após o incêndio, na manhã desta sexta-feira. No vídeo, imagens do resgate dos pacientes.

Ao menos onze pessoas morrem em incêndio no hospital Badim, no Rio

Havia mais de 103 pacientes internados no momento em que o fogo começou. A suspeita é que um curto-circuito no prédio provocou a tragédia, mas a Polícia Civil ainda investiga as causas

Wilson Witzel inicia coletiva de imprensa nesta terça colocando boina do BOPE sobre a mesa.

Sob Witzel, policiais já respondem por quase metade de mortes violentas na região metropolitana do Rio

Agentes mataram 194 pessoas em julho em todo o Estado, segundo dados oficiais. É a maior cifra para um mês desde 1998. Governo Witzel já assumiu 1.075 mortes de janeiro a julho deste ano

Sequestrador que manteve passageiros reféns em ônibus na ponrte Rio-Niterói aponta para uma das vítimas, nesta terça-feira.

Witzel usa operação contra sequestrador para justificar ações indiscriminadas em favelas

Ação policial que terminou com a morte de sequestrador de ônibus na ponte Rio-Niterói é considerada exemplar. Governador faz gestos de comemoração e compara episódio com ações que não raro terminam em chacinas

O ônibus da viação Galo Branco na ponte Rio-Niterói, cujos passageiros foram mantidos reféns na manhã desta terça-feira.

Homem armado faz reféns em ônibus na ponte Rio-Niterói e é morto por snipers

Após manter 37 reféns dentro de um ônibus sob a ameaça de que atearia fogo no veículo, sequestrador foi baleado por franco atiradores da PM. Segundo governador, ele tinha transtornos mentais

Um dos desenhos enviados crianças da Maré à Justiça do Rio.

As cartas das crianças da Maré: “Não gosto do helicóptero porque ele atira e as pessoas morrem”

Crianças do Complexo de Favelas da Maré descrevem horror da vida sob fogo cruzado em mais de 1.500 cartas enviadas para a Justiça do Rio, que restabelece regras mínimas para operações policiais no local. Seis jovens morrem nos últimos cinco dias em outras comunidades fluminenses

Policiais militares fazem operação na Vila do João, uma das comunidades da Maré, no dia 6 de fevereiro.

Uma ação mais humana por outra Maré é possível

Atuação do Estado no complexo de favelas do Rio em 2018 mostra que, com o apoio da sociedade civil, pode-se combater o crime de forma mais inteligente

Sergio Moro e Jair Bolsonaro posam juntos no dia 7 de julho durante jogo da Copa América.

Acordo entre facções rivais, a chave da queda global de mortes violentas no país

Governo Bolsonaro comemora a diminuição de 22% nos assassinatos nos cinco primeiros meses do ano. Especialistas apontam, no entanto, que a oscilação tem mais relação com a dinâmica do crime

Crianças na Maré correm de disparos, nesta segunda-feira.

As crianças que correm da política de terror de Wilson Witzel no Rio

Governador brinca de 'Apocalipse Now'. Dias depois, a polícia que comanda atira do alto em pleno horário escolar na Maré. Quem porá limites à sua política homicida?

Deputado Cauê Macris ergueu a taça de campeão com o goleiro Cássio.

Quando o oportunismo político se apropria da festa do futebol

Subserviência de cartolas ao poder ofusca protagonismo dos jogadores em títulos e vitórias

O governador Wilson Witzel e o comandante Nunes, do Bope, em janeiro.

Carta branca de Witzel a ação de ‘snipers’ eleva o temor por abusos policias no Rio

Moradores e ativistas relatam aumento nos casos de violações desde vitória do governador. Ministério Público cobra explicações sobre atiradores de elite

Kauan Peixoto, morto no último sábado.

Rio de Janeiro com licença para matar

Testemunhas acusam polícia de matar o menino Kauan Peixoto no sábado, e parentes exigem esclarecimentos. Dados oficiais indicam recorde em número de mortes causadas por agentes do Estado

Letalidade policial tem a PMERJ como principal protagonista.

Rio de Janeiro registra maior índice de letalidade policial em janeiro desde 1998

Policiais mataram 160 pessoas no primeiro mês de 2019. São mais de 17 mil mortos em 20 anos

Imagem de arquivo da favela de Manguinhos, em 2014.

Uma favela do Rio apavorada após a morte de seis pessoas por tiros certeiros que vêm do céu

Relatos coincidem que disparos partem desde 2018 de uma torre policial a 250 metros da comunidade Manguinhos, aponta relatório da Defensoria Pública que apresenta as denúncias de moradores