Trump ameaça cortar as verbas e retirar os EUA da OMS

Presidente dos EUA exige “grandes melhorias nos próximos 30 dias” para não retirar o país do órgão, do qual é o maior doador

Trump, nesta segunda-feira em uma mesa redonda com empresários na Casa Branca.
Trump, nesta segunda-feira em uma mesa redonda com empresários na Casa Branca.Contacto (Europa Press)

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ameaçou nesta segunda-feira cortar permanentemente os recursos para a Organização Mundial de Saúde (OMS) – suspensos no momento— e retirar seu país desse órgão por causa da maneira como lidou com a pandemia do coronavírus, que já matou mais de 317.000 pessoas em todo o mundo. "Se a OMS não se comprometer com melhorias substanciais nos próximos 30 dias, tornarei permanente minha suspensão temporária de verbas para a OMS e reconsiderarei nossa filiação ao órgão”, alertou Trump em uma carta ao diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus. A ameaça de Trump ocorre no mesmo dia em que o dr. Tedros, como é chamado na OMS, anunciou que aceita uma avaliação independente da resposta dessa agência da ONU e de seus Estados membros à crise.

Mais informações
Beijing (China), 19/05/2020.- People wearing protective face masks walk during evening rush hour, in Beijing, China, 19 May 2020. China will hold the Chinese People's Political Consultative Conference (CPPCC) on 21 May and the National People's Congress (NPC) on 22 May after the two major political meetings initially planned to be held in March 2020 were postponed amid the coronavirus outbreak. EFE/EPA/ROMAN PILIPEY
AO VIVO | Últimas notícias sobre o coronavírus no mundo e a crise política no Brasil
La canciller alemana, Angela Merkel, y el presidente francés, Emmanuel Macron, en una foto de archivo.
Merkel e Macron anunciam plano de ajuda de 3,12 trilhões de reais para a reconstrução da Europa
EUA acusam ‘hackers’ chineses de tentarem roubar informações sobre o coronavírus

Na carta de quatro páginas, Trump anunciou que seu Governo e o chefe do órgão da ONU “já começaram conversações sobre como reformar a organização”, mas acrescentou que “não há tempo a perder” e que "é necessário agir rapidamente”. O presidente dos EUA condenou o que, na sua opinião, é “uma alarmante falta de independência da OMS em relação à China” e deixou claro que as reformas que Washington exige passam pelo seu distanciamento de Pequim. “O único meio de a OMS é se realmente for capaz de demonstrar independência da China”, disse Trump na carta, que compila uma lista de danos atribuídos a Pequim e ao dr. Tedros por sua gestão da pandemia de coronavírus.

Trump ordenou em 14 de abril o congelamento das verbas que os Estados Unidos, como principal doador, enviam para a OMS enquanto analisa o papel do órgão no que definiu como “uma grave má administração e encobrimento da expansão do coronavírus”. Na carta desta segunda-feira, Trump deu por concluída essa “revisão” com a qual os Estados Unidos “confirmaram muitos dos graves problemas” que haviam apontado.

Dessa forma, Trump redobrou sua cruzada contra a OMS no dia em que os Estados Unidos ultrapassaram a cifra de 90.000 mortes pela covid-19 e mais de 1,5 milhão de casos confirmados, tornando-se o país mais afetado, de longe, pela pandemia.

Quando Trump lançou sua ofensiva contra a OMS há um mês, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, disse que agora “não é o momento” nem para questionar a agência nem cortar seus recursos. Depois de virar a página desta epidemia, deverá haver um momento para olhar para trás e entender como essa doença surgiu e como sua devastação se propagou tão rapidamente por todo o mundo, e como todos os envolvidos reagiram à crise. Mas agora não é o momento”, afirmou, então, Guterres.

Ao longo de mais de três anos na Casa Branca, Trump não titubeou em romper o consenso internacional ao retirar os Estados Unidos da Unesco, do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas, do Acordo de Paris sobre as mudanças climáticas e do pacto nuclear com o Irã.

Informações sobre o coronavírus:

- Clique para seguir a cobertura em tempo real, minuto a minuto, da crise da Covid-19;

- O mapa do coronavírus no Brasil e no mundo: assim crescem os casos dia a dia, país por país;

- O que fazer para se proteger? Perguntas e respostas sobre o coronavírus;

- Guia para viver com uma pessoa infectada pelo coronavírus;

- Clique para assinar a newsletter e seguir a cobertura diária.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS