COPA AMÉRICA

Neymar conduz Brasil às semifinais da Copa América em jogo sofrido e com expulsão

No duelo mata-mata contra o Chile, camisa 10 criou o único gol da partida e foi essencial para que brasileiros não sofressem o empate após cartão vermelho de Gabriel Jesus

Neymar comemora o gol brasileiro com Lucas Paquetá.
Neymar comemora o gol brasileiro com Lucas Paquetá.CARL DE SOUZA / AFP

Mais informações

O Brasil se classificou às semifinais da Copa América 2021 ao vencer o Chile por 1 a 0 no estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro, na noite desta sexta-feira, 5 de julho. Lucas Paquetá foi o nome do gol, mas o protagonismo da noite fica com Neymar. O camisa 10 criou o gol brasileiro e foi quem, após expulsão merecida de Gabriel Jesus, se tornou responsável por prender a bola, infernizar a defesa chilena e permitir que o Brasil segurasse a vantagem mínima até o fim. Agora, os favoritos ao bicampeonato enfrentam o Peru, o atual vice-campeão da Copa América, na semifinal marcada para segunda-feira, 5 de julho, no mesmo estádio Nilton Santos, valendo uma vaga na decisão do Maracanã, programada para 10 de julho.

Tite utilizou os 23 convocados —Felipe, zagueiro que se contundiu, foi o único que não jogou— nos quatro jogos da fase de grupos com o intuito de avaliar quais seriam as melhores escolhas para as partidas mais decisivas. Agora, começou com uma escalação que pode ser considerada mais próxima da titular. Ederson foi o goleiro eleito; Danilo, Marquinhos, Thiago Silva e Renan Lodi formaram a linha de defesa; Fred e Casemiro, os volantes; e Gabriel Jesus, Roberto Firmino, Neymar e Richarlison começaram no ataque, compondo um quarteto ofensivo e arrojado que vem sido bem testado pelo treinador na Copa América.

No primeiro tempo, a encaixada marcação chilena diminuiu os espaços da seleção brasileira, que construiu a maior parte de suas chances quando o trio Lodi, Neymar e Richarlison foi capaz de superar os defensores pela esquerda com dribles e tabelas. Na melhor delas, já aos 43 minutos, Gabriel Jesus recebeu bola enfiada por Neymar na área, cortou para a canhota e teve o chute forte desviado pelo goleiro Bravo. Do outro lado, o Chile apresentou um cenário que o Brasil ainda não tinha encarado no torneio: contra-ataques rápidos, lançados para o artilheiro Vargas, que ofereceram perigo a Ederson quando o atacante ganhou na velocidade de Thiago Silva e Marquinhos, ao mesmo tempo em que foi para o intervalo com mais posse de bola. No entanto, nenhum dos dois times conseguiu mexer no placar durante a etapa inicial.

Buscando ganhar o controle do meio-campo, Tite voltou do intervalo tirando o atacante Firmino para colocar o meia Lucas Paquetá. O efeito foi imediato: aos dois minutos, Paquetá tabelou com Neymar na entrada da área, aproveitou a bobeira da defesa chilena e bateu firme para abrir o placar. Mas a estratégia brasileira precisou ser alterada no minuto seguinte, quando Gabriel Jesus acertou o ombro de Mena com o pé em disputa pelo alto e recebeu o cartão vermelho, direto e indiscutível. Condicionada pela expulsão, a seleção brasileira se fechou na defesa e só deixou o Chile ameaçar pelos cruzamentos, através do qual Brereton acertou o travessão numa cabeçada e Vargas obrigou Ederson a fazer boa defesa. Quando tinha a bola no pé, foi Neymar quem assumiu de vez o protagonismo. O camisa 10, que já tinha criado o gol brasileiro e se tornou o atacante mais avançado em campo, se aproveitou a posição para somar arrancadas e dribles que infernizaram a defesa chilena, ao mesmo tempo em que sofria faltas e ajudava o Brasil a ganhar tempo na situação desfavorável. Foi assim que a equipe de Tite —que ainda tirou Lodi e Richarlison para colocar Militão e Everton— levou o 1 a 0 até o apito final e se garantiu nas semis da Copa.

Causador da maior parte das reclamações antes da partida, o gramado do estádio Nilton Santos aparentou estar melhor que nos jogos anteriores. Depois de críticas do treinador Tite, de Messi, de Neymar —que o comparou a um campo de terra em uma publicação do seu Instagram— e a tentativa da CBF de mudar o local da partida para Cuiabá, a Conmebol se esforçou para restaurar a grama esburacada e fez questão de divulgar os procedimentos diariamente em suas redes sociais. Ainda assim, o esforço não contentou Tite, que voltou a reclamar do campo na entrevista coletiva. “Por favor, por favor, tenham essa responsabilidade. Reconheço o que o pessoal está fazendo para melhorar o campo, mas encontrem um campo melhor para nós jogarmos”, pediu o treinador. O lado de fora do estádio, por outro lado, continuou igual: com o público vetado nas arquibancadas, o que mais se viu no entorno do local nas horas que antecederam o apito inicial foram pessoas fazendo exercícios e jovens andando de skate ou bicicleta, além de um considerável policiamento, mas sem aglomerações de torcedores ou camisas da seleção.

Apesar de valer classificação, a partida tampouco conquistou a audiência da televisão. Tanto no Rio de Janeiro quanto em São Paulo, o SBT, emissora que transmite a Copa América na televisão aberta, perdeu na audiência para Globo e Record durante o primeiro tempo do jogo da seleção. No Twitter, as tags #BoicoteAGlobo, Firmino, Peru, Vargas e Thiago Silva ocuparam o top 10 de assuntos mais comentados na primeira metade do jogo. Já ao fim do jogo, ainda estavam cinco temas relacionados no ranking, sendo que o termo Chile liderava as buscas, com Neymar em segundo lugar.

O Chile foi um dos países envolvidos na Copa América 2021 que registrou casos positivos de covid-19 em sua delegação, ainda que não tenha divulgado nomes. Segundo as contas do Ministério da Saúde, 198 pessoas envolvidas no torneio testaram positivo para o vírus ao longo das últimas três semanas, sendo 57 jogadores ou membros de comissão técnica; 137 prestadores de serviço contratados; e quatro funcionários da Conmebol. Além do Chile, houve infectados no Peru, Colômbia, Venezuela, Bolívia e Equador. No entanto, de acordo com o que foi divulgado, os chilenos foram os únicos que desrespeitaram o protocolo sanitário da Conmebol, quando receberam cabeleireiras para cuidar do visual dos jogadores no hotel onde a seleção estava concentrada.

Classificado para a semifinal, o Brasil enfrenta agora o Peru, que eliminou o Paraguai nos pênaltis após um empate por 3 a 3 no outro jogo das quartas de final, realizado mais cedo em Goiânia. É uma reedição do jogo da fase de grupos, no qual os brasileiros golearam por 4 a 0, e também da final da Copa América 2019, também vencida pela seleção de Tite. O jogo está marcado para a próxima segunda-feira, 5 de julho, no mesmo estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro. Do outro lado da chave, Argentina x Equador e Uruguai x Colômbia decidem amanhã, sábado, qual será a segunda semifinal.

Apoie a produção de notícias como esta. Assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$

Clique aqui


Arquivado Em:

Mais informações

Pode te interessar

O mais visto em ...

Top 50