O desfecho milionário do ano mais aleatório de Ronaldinho Gaúcho

Astro ressurge em comerciais e clipe com Djonga após sair da prisão por falsificar passaporte no Paraguai. A expectativa para 2021 é o lançamento de um filme sobre sua trajetória

Ronaldinho Gaúcho em propaganda da Buser.
Ronaldinho Gaúcho em propaganda da Buser.Reprodução

Mais informações

Um craque conhecido mundialmente jogando futebol na cadeia em pé de igualdade com outros detentos, a não ser por seu talento ainda intacto para colocar a bola onde bem entendesse. Há exatos nove meses, essa era a realidade —acompanhada de maneira incrédula pelos fãs por meio de vídeos que vazavam do complexo penitenciário— de Ronaldinho Gaúcho, preso no Paraguai juntamente com o irmão Roberto de Assis Moreira por falsificação de passaportes. Tinha tudo para ser o pior ano de sua trajetória como estrela internacional, mas, no fim das contas, 2020 terminou registrando lucros e ainda mais visibilidade para o ex-jogador.

Foram 171 dias de detenção na capital paraguaia. Em acordo com a Justiça local, os irmãos toparam pagar multa de 1 milhão de reais em troca da suspensão do processo. Ao longo do período sob custódia, a maior preocupação da dupla, além dos familiares que ficaram no Brasil, era de que o episódio pudesse arranhar a imagem de Ronaldinho e inviabilizar sua carreira como garoto propaganda, encampada desde que pendurou as chuteiras. Porém, a prisão parece não ter afetado seu status no mercado. Quatro meses após deixar a prisão, o craque já faturou mais de 5 milhões de reais em participações e campanhas publicitárias.

Logo no mês seguinte à libertação no Paraguai, ele esteve em Belo Horizonte, contratado por uma seguradora mineira para o lançamento das obras do estádio do Atlético, clube pelo qual Ronaldinho conquistou a Libertadores de 2013. Em outra aparição bancada pela marca, o astro testou positivo para covid-19, e o evento, que contou com a presença de várias crianças, precisou ser adiado para novembro.

Aproveitando a ligação com BH, onde recebeu o título de cidadão honorário, Ronaldinho abriu um estúdio para fazer deslanchar sua faceta musical. Gravou clipe ao lado do coletivo Recayd Mob e do rapper Djonga no projeto batizado como a “Tropa do Bruxo”. Com aposta no trap, gênero musical que se tornou sensação do momento, o novo empreendimento reforça a fama de bon vivant do craque, rodeado de bebidas e mulheres na maioria dos esquetes. Em menos de uma semana, o clipe já acumula mais de um milhão de visualizações no Youtube. Ronaldinho ainda surfou na visibilidade da Tropa para lançar sua marca de gim orgânico, a R-ONE, e promover a Vinho dos Campeões, sua primeira linha de bebidas.

Também em dezembro, Ronaldinho estrelou campanha publicitária da Buser, aplicativo de viagens. Assim como no clipe da Tropa do Bruxo, o ex-jogador aparece batucando dentro de um ônibus em volta de várias mulheres e parodiando do hit de Zeca Pagodinho que embalou o Brasil na Copa de 2002: “Deixa a vida me levar”. Outra campanha que encabeçou depois da prisão é a da Betcris, site de apostas esportivas com o qual mantinha contrato desde o ano passado. A confusão no Paraguai obrigou a marca a atrasar as ações de publicidade, com direito a placas expostas nos jogos do Campeonato Brasileiro, lançadas somente no fim de agosto.

Ronaldinho ainda turbinou sua presença no universo dos games. Além de fazer propaganda para os jogos concorrentes Pro Evolution Soccer (PES) e FIFA, ele criou sua própria equipe de e-sports, o R10 Team, que, em outubro, ganhou uniforme personalizado na última edição do game da EA Sports. A empresa avaliou a hipótese de excluir o nome e os avatares de Ronaldinho de seu jogo por causa da exposição negativa pelos passaportes falsificados, mas optou por mantê-lo até uma decisão definitiva da Justiça paraguaia. No ramo da bola, o craque também assinou vínculo de embaixador oficial com a plataforma FMS, uma rede social destinada a jovens jogadores.

Embora já tenha se encontrado pessoalmente com o presidente Jair Bolsonaro e sido nomeado embaixador do turismo brasileiro, Ronaldinho segue distante do Governo desde a soltura. Em março, o então ministro da Justiça, Sergio Moro, chegou a contatar autoridades paraguaias, mas negou que tivesse intercedido pela libertação do ex-jogador. Por ora, segundo a assessoria do astro, não há nenhuma ação prevista com a Embratur, que o nomeou para o cargo informal em setembro do ano passado, nem com o Ministério do Turismo.

A expectativa para 2021, por enquanto, envolve o lançamento de um filme sobre a trajetória de Ronaldinho. No teaser da produção, ainda sem data de estreia prevista, ele é definido como “o homem mais feliz do mundo”. “Uma fase difícil chega ao fim, graças a Deus. Não tenho palavras para agradecer todo o carinho e apoio que recebi nesses últimos meses”, escreveu aos fãs ao divulgar o filme, três dias após ter sido libertado. Apesar da humilhação de passar o aniversário de 40 anos na cadeia e a lamentação por estar longe da mãe Miguelina, internada com covid-19, no Natal, o rolê mais aleatório de Ronaldinho reservou um final feliz e não menos rentável para a família Assis Moreira.

Arquivado Em:

Mais informações

Pode te interessar

O mais visto em ...

Top 50