Equinócio de primavera: começa uma nova estação no hemisfério sul

Mudança de estações ocorre nesta quarta-feira às 16h21 (horário de Brasília), deixando os dias mais longos até dezembro. Em 2021, o fenômeno ‘La Niña’ deixa a primavera mais chuvosa no Brasil

Jardim de flores na Inglaterra, durante um evento dedicado a floristas e jardineiros em setembro.
Jardim de flores na Inglaterra, durante um evento dedicado a floristas e jardineiros em setembro.Christopher Furlong (Getty Images)
Mais informações

A primavera de 2021 começa nesta quarta-feira, 22 de setembro, no hemisfério sul, pondo fim aos dias frios e secos do inverno e deixando os dias mais longos, quentes e úmidos até dezembro no Brasil e demais países da região. A estação de transição começa oficialmente no país às 16h21 (horário de Brasília), com duração até 21 de dezembro, quando tem início o verão. Neste ano, a primavera vem acompanhada do fenômeno meteorológico La Niña, que promete trazer um pouco mais de chuva para boa parte do país ―um esperado alívio para as regiões que enfrentam há meses uma dura seca.

O início da estação das flores na metade sul do planeta se dá com o equinócio de setembro, no exato instante em que a duração do dia e da noite ficam idênticas em qualquer ponto da Terra. É o mesmo instante que, no hemisfério norte, começa o outono.

A partir do equinócio da primavera, os dias vão aumentando progressivamente de duração, e consequentemente as noites demoram mais a chegar a cada dia que passa (cerca de três minutos a mais por dia). As temperaturas sobem, e o clima vai ficando mais quente, até que em 21 de dezembro ocorre o solstício de verão.

O equinócio de primavera, também chamado de vernal, é o preciso instante em que o Sol atravessa o plano do Equador terrestre. Nesta época, o Sol, que vinha amanhecendo no nordeste, sai exatamente pelo leste, coisa que só ocorre nos equinócios, e se põe à tarde exatamente no oeste. Isto faz com que o dia e a noite durem praticamente o mesmo nesta quarta-feira, daí o termo “equinócio” (noite igual).

Um beija-flor, espécie fundamental para a polinização de flores no planeta, em especial na América do Sul.
Um beija-flor, espécie fundamental para a polinização de flores no planeta, em especial na América do Sul.Ernesto Benavides

O equinócios serviam como referência temporal a várias culturas, e em praticamente todos os calendários da antiguidade o ano começava junto com a primavera boreal, em março. Alguns calendários ainda vigentes, como o persa e o indiano, conservam isso.

O equinócio de setembro geralmente cai no dia 22 ou 23 ―muito raramente, pode ser nos dias 21 ou 24. O último equinócio em 21 de setembro foi no ano 1000, mas isso voltará a se repetir duas vezes neste século, em 2092 e 2096. O último equinócio em 24 de setembro foi em 1931; o próximo, em 2303. As variações de ano para ano se devem ao encaixe entre os anos do calendário (bissextos ou não) com a duração de cada órbita terrestre ao redor do Sol (duração conhecida como ano trópico).

Inscreva-se aqui para receber a newsletter diária do EL PAÍS Brasil: reportagens, análises, entrevistas exclusivas e as principais informações do dia no seu e-mail, de segunda a sexta. Inscreva-se também para receber nossa newsletter semanal aos sábados, com os destaques da cobertura na semana.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: