Greta Thunberg

O pai de Greta Thunberg: “Foi uma má ideia minha filha encabeçar a luta climática”

O genitor da ativista admite em entrevista à BBC que se preocupa com o ódio dirigido à adolescente, embora ela esteja "muito feliz"

Mais informações

Svante Thunberg, pai de Greta Thunberg, considera "uma má idéia" para sua filha "estar na linha de frente" da luta contra as mudanças climáticas. Em uma entrevista à BBC, ele acrescenta que não queria que a agora ativista perdesse o horário das aulas para entrar em uma greve climática global. No entanto, ele reconhece que sua filha de 16 anos está "muito mais feliz" desde que adotou essa causa e milhões de pessoas foram inspiradas por ela, embora ele esteja preocupado com o "ódio" que desperta nos outros.

O pai de Greta admite na entrevista que a família mudou seu modo de vida para "salvar" sua filha, porque ela não queria comer ou ir à escola, e não por causa da crise climática. A adolescente sueca tornou-se o símbolo da luta global contra as mudanças climáticas e levou sua campanha por vários países ao redor do mundo, aos quais nunca viaja de avião, por causa de suas emissões poluentes. Svante Thunberg reconhece que sua filha teve problemas de depressão por "três ou quatro anos" antes de iniciar sua greve na escola.

"Ele parou de falar, parou de ir à escola", admitiu Svante Thunberg à BBC Radio 4, acrescentando que a situação de sua filha se tornou o pior "pesadelo para um pai" quando ela não queria comer. Para ajudá-la, acrescentou, começou a passar mais tempo com ela e sua irmã mais nova, Beata, em sua casa na Suécia, enquanto sua mãe, a cantora de ópera Malena Ernman, cancelou contratos que tinha para ficar com a família.

Foi então que Greta, diagnosticada há quatro anos com síndrome de Asperger, um distúrbio do espectro do autismo, começou a se expressar cada vez mais apaixonada pela necessidade de enfrentar a crise climática, explicou o pai, que admitiu que a família começou a mudar e levar o problema ambiental mais a sério, como no caso da decisão da mãe de não viajar de avião.

"Fiz todas essas coisas, sabia que eram as coisas a fazer, mas não fiz para matar o tempo, fiz para salvar minha filha. Tenho duas filhas e, para ser sincero, são tudo o que importa para mim. Eu só quero que elas sejam felizes ", admitiu. "As pessoas pensam que ela é especial, e ela é muito famosa e todas essas coisas. Mas para mim ela é uma garota normal", que, segundo ele, atualmente está feliz e faz o que qualquer outro adolescente faz: "dança, ri muito, se diverte".

Svante Thunberg estava preocupado com "as notícias falsas, com todas as coisas que as pessoas tentam inventar sobre isso, o ódio que isso gera". Mas ele acrescentou que sua filha lida com os críticos "incrivelmente bem". "Francamente, não sei como ela faz isso, mas ri a maior parte do tempo. Ela acha hilário", disse.

O pai da jovem ativista espera que a situação se torne "menos intensa" para sua família no futuro e acha que a adolescente "realmente quer voltar para a aula". Ele também explicou que, quando completar 17 anos, não precisará mais acompanhá-la em suas viagens. "Se você precisar de mim, vou tentar", diz. "Mas acho que ela vai, cada vez mais, fazer sozinha, o que é ótimo."

O mais visto em ...Top 50