Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Aeroporto London City é fechado depois da descoberta de uma bomba da Segunda Guerra Mundial

Aeródromo cancelou todas as partidas e chegadas previstas para esta segunda-feira (12) enquanto a polícia evacuou um perímetro de segurança de 214 metros

Aeropuerto de Londres
A pista de pouso e decolagem do aeroporto London City, ao lado do rio Tâmisa.

O pequeno aeroporto London City, localizado dentro da capital britânica, está fechado desde a noite de domingo depois da descoberta – em uma doca no rio Tâmisa, perto de sua única pista de pouso e decolagem – de uma bomba da Segunda Guerra Mundial que não explodiu. O aeródromo cancelou todas as chegadas e partidas desta segunda-feira e pede aos passageiros que não se dirijam às suas instalações. A bomba foi encontrada em torno das 5 h (1 h em Brasília) e o aeroporto foi fechado por segurança às 22 h (hora local). A medida afetará cerca de 16.000 passageiros, de acordo com a BBC, que cita uma porta-voz.

O aeroporto, localizado no leste de Londres, informou em um comunicado assinado por seu CEO, Robert Sinclair, e publicado em seu site, que a bomba foi localizada no domingo durante obras na doca Rei Jorge V. A polícia isolou um perímetro de segurança de 214 metros ao redor do local onde se encontra o artefato.

“Aconselhamos que todos os passageiros com voos previstos a partir do aeroporto London City entrem em contato com sua companhia aérea para obter mais informações. Os passageiros são aconselhados a não ir ao aeroporto até novo aviso”, pede Sinclair. “Reconheço que isso está causando inconvenientes aos nossos passageiros e especialmente a alguns dos moradores da área”, acrescenta o CEO do aeroporto.

Ele também enfatizou que as autoridades aeroportuárias “estão colaborando plenamente” com a Polícia Metropolitana, a Marinha Real e o município londrino de Newham, onde fica o aeroporto. Por sua vez, a Polícia Metropolitana disse que especialistas da Marinha Real britânica “confirmaram a natureza do artefato” e que “as operações para sua remoção estão em andamento”.

“Durante a noite, os agentes ajudaram a evacuar propriedades situadas dentro do perímetro de segurança e a polícia está trabalhando com a prefeitura de Newham para providenciar alojamento temporário de emergência e apoio adequado aos moradores”, afirmou a Polícia Metropolitana de Londres em um comunicado.

“Algumas estradas foram fechadas e pedimos aos motoristas que pretendem transitar por esta parte do distrito de Newham que procurem rotas alternativas”, acrescenta o comunicado, em que agradece aos cidadãos por sua “paciência e cooperação”. O serviço de trens Docklands Light Railway entre o aeroporto e Woolwich Arsenal também foi suspenso.

O London City tem uma única pista e foi pensado para proporcionar rápido acesso ao distrito financeiro, conhecido como City de Londres. Foi inaugurado em 1988 e é o quinto e volume de tráfego da capital britânica, depois de Heathrow, Gatwick, Luton e Stansted. Entre as companhias aéreas que o utilizam estão British Airways, Flybe, CityJet, KLM e Lufthansa, com voos para destinos urbanos nacionais e europeus. No ano passado, mais de 4,5 milhões de passageiros utilizaram o aeroporto, que será ampliado.

Entre 1940 e 1941, durante a Segunda Guerra Mundial, Londres foi alvo de uma intensa campanha de bombardeio por parte da Luftwaffe (a força aérea do Terceiro Reich), conhecida como blitz. Os bombardeios duraram oito meses, incluindo 57 noites consecutivas de ataques. Em 10 de maio de 1941, a Luftwaffe fez o último grande bombardeio, conhecido como A noite mais escura, no qual morreram mais de 20.000 pessoas e um milhão e meio de cidadãos ficaram desabrigados.

A descoberta de bombas esquecidas da Segunda Guerra Mundial é comum na Alemanha, onde a cada ano aparecem milhares de toneladas de explosivos. Em setembro, cerca de 60 mil pessoas foram evacuadas do centro de Frankfurt para a desativação de uma bomba gigantesca.

MAIS INFORMAÇÕES