Nestlé reduzirá o açúcar dos chocolates em 40% sem afetar o sabor

O grupo alimentício patenteou um novo método para tornar seus doces mais saudáveis

Tabletes de KitKat fabricados pela Nestlé.
Tabletes de KitKat fabricados pela Nestlé.Nestlé

MAIS INFORMAÇÕES

A Nestlé, o maior grupo mundial de alimentos processados, anunciou uma nova tecnologia que permitirá reduzir em até 40% o açúcar em chocolates e outros produtos de confeitaria, sem afetar o sabor.

A fabricante dos chocolates KitKat e das barras Aero revelou que seus pesquisadores descobriram uma maneira de mudar a estrutura das moléculas de açúcar utilizando apenas ingredientes naturais. Ao tornar os cristais menos compactos, a Nestlé disse que cada partícula se dissolve mais rapidamente na língua, de modo que é possível usar menos açúcar no chocolate.

“Nossos cientistas descobriram uma forma completamente nova de usar um ingrediente natural, tradicional, uma maneira diferente de estruturar o açúcar. Portanto, mesmo quando se usa muito menos no chocolate, a língua percebe uma doçura quase idêntica à anterior”, disse Stefan Catsicas, diretor de tecnologia da Nestlé, em um comunicado.

Epidemia de obesidade

O anúncio acontece num momento em que os Governos, preocupados com a epidemia global de obesidade e seus efeitos perniciosos para a saúde, estão adotando medidas em relação aos fabricantes de alimentos processados para que tornem seus produtos mais saudáveis. Países como Reino Unido, México e algumas cidades dos EUA aprovaram impostos ao açúcar para ajudar a combater a obesidade infantil e o diabetes, que afetam quatro vezes mais pessoas do que em 1980.

Na Espanha, o Governo anunciou que estabelecerá um imposto sobre bebidas açucaradas no próximo orçamento do Estado.

Portanto, a Nestlé e outras empresas do setor de alimentos estão trabalhando para reduzir o açúcar, a gordura e o sal para tornar seus produtos mais saudáveis.

O grupo disse que patenteou suas descobertas científicas e que começará a usar o açúcar de dissolução mais rápida em uma gama de produtos a partir de 2018. A empresa não é a primeira a experimentar com moléculas. A PepsiCo usou em 2010 uma molécula de sal projetada que afirmou que permitiria usar menos sódio sem afetar o sabor dos seus produtos.

“Essa pesquisa realmente inovadora é inspirada pela natureza e tem o potencial de reduzir o açúcar total em até 40% nos nossos produtos de confeitaria”, disse Catsicas.