Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine
Desperdício de alimentação

França proíbe supermercados de jogar comida no lixo

Lei obrigará grandes estabelecimentos a doarem os produtos perecíveis descartados

Los supermercados franceses no podrán tirar alimentos a la basura
Frutas e verduras são os alimentos que mais se desperdiçam.

O Governo francês quer reduzir pela metade o desperdício de mantimentos até 2025, e para isso obteve na quinta-feira o apoio unânime da Assembleia Nacional. De acordo com uma emenda à Lei de Transição Energética, a partir de 1º. de julho de 2016 os supermercados com mais de 400 metros quadrados não poderão jogar produtos perecíveis no lixo. Deverão doá-los a organizações dedicadas à alimentação animal ou à fabricação de adubos.

A emenda foi apresentada pelo ex-vice-ministro de Agricultura Guillaume Garot, um político que há anos se empenha na luta contra o desperdício alimentar. “Ver os frascos de água sanitária esparramados nos lixos dos grandes supermercados junto com alimentos consumíveis é escandaloso”, disse Garot à agência France Presse.

Segundo dados do Ministério da Ecologia, 20 quilos de comida são jogados no lixo por pessoa a cada ano na França. A FAO (órgão da ONU para alimentação e agricultura) considera que até um terço dos alimentos para consumo humano é desperdiçado. Ao todo, 1,3 bilhão de tonadas é jogado no lixo por ano, o que gera 3.300 toneladas de dióxido de carbono. Do total desperdiçado, metade se perde no trajeto entre a lavoura e a mesa.

A França está comprometida com essa luta desde 2010, quando criou um grupo de trabalho sobre o tema. Suas conclusões, adotadas três anos atrás, são semelhantes às medidas agora incorporadas à lei – embora a intenção seja envolver toda a cadeia produtiva nesse esforço, não só as redes de varejo. Em nota, a Federação do Comércio e Distribuição lamentou a aprovação da emenda, mas disse já colaborar ONGs para doar os mantimentos que não são vendidos.

Cada pessoa joga, em média, 20 quilos de comida fora a cada ano na França

“A lei se equivoca quanto ao objetivo e ao assunto”, diz a nota. “Os grandes supermercados só representam 5% do desperdício alimentar total.”

Outro ponto importante da lei será a criação de programas de conscientização nas escolas para reduzir o desperdício de alimentos.

A Lei de Transição Energética que tramita na Assembleia Nacional busca reduzir pela metade o consumo de energia no país até 2050. A ministra da Ecologia, Ségolène Royal, lidera o projeto, que também prevê estímulos às energias renováveis, ao transporte elétrico e à adaptação de edifícios de modo a torná-los sustentáveis. Também limita o uso da energia nuclear, que deve se manter no mesmo nível atual.

MAIS INFORMAÇÕES