Exposição

A dama que retratou as travestis de São Paulo nos anos setenta

Instituto Moreira Salles dedica uma exposição a Madalena Schwartz, que chegou tarde à fotografia e voltou seu olhar para a diversidade sexual em plena ditadura

Uma das fotos incluídas na exposição ‘As Metamorfoses’, recém-inaugurada em São Paulo. Diversas modelos que posaram para os retratos de travestis e transformistas que a fotógrafa Madalena Schwartz, uma imigrante nascida em 1921 na Hungria, fez nos anos setenta na metrópole brasileira.
Uma das fotos incluídas na exposição ‘As Metamorfoses’, recém-inaugurada em São Paulo. Diversas modelos que posaram para os retratos de travestis e transformistas que a fotógrafa Madalena Schwartz, uma imigrante nascida em 1921 na Hungria, fez nos anos setenta na metrópole brasileira.Madalena Schwartz

Na década de setenta, Madalena Schwartz (1921-1993) era uma senhora de meia-idade, esposa e mãe, convencional na aparência, curiosa, que tocava com sua família uma tinturaria no centro de São Paulo, uma região habitada por intelectuais, boêmios, gente de teatro e vedetes. Epicentro da cena underground num Brasil mergulhado nos piores anos da ditadura. Do seu balcão, aquela imigrante húngara, que poucos anos antes hav...

Mais informações