Doria empurra os pobres ao vírus com plano de abrir shoppings

À espera do cliente que pode não se arriscar a uma ida às compras estará o morador da Brasilândia, onde a covid-19 já matou o equivalente ao ocorrido em cinco bairros nobres juntos

O governador de São Paulo, João Doria, em coletiva de imprensa nesta quarta, 27 de maio.
O governador de São Paulo, João Doria, em coletiva de imprensa nesta quarta, 27 de maio.Divulgação

Em 20 dias, o discurso do Governo de São Paulo em relação a necessidade de manutenção de medidas contra a covid-19 mudou radicalmente. Se no dia 8 deste mês, quando o Estado registrava 3.416 mortos pelo novo vírus, o plano era relaxar a quarentena apenas quando houvesse redução sustentada de novos casos por 14 dias e uma taxa de ocupaçã...

Mais informações