Por suspeita de coronavírus, ONG cancela evento do qual Maia participou em Brasília

Presidente da Câmara, senador e secretário do Tesouro de Bolsonaro estiveram no encontro do Todos Pela Educação. Ministro Weintraub debocha da infecção

Rodrigo Maia no dia 3 de maço, na Câmara dos Deputados.
Rodrigo Maia no dia 3 de maço, na Câmara dos Deputados.ADRIANO MACHADO / Reuters

A organização não governamental Todos pela Educação cancelou nesta terça-feira um encontro em Brasília porque sua presidente, Priscila Cruz, apresentou sintomas semelhantes ao do coronavírus. Hoje seria o segundo dia do evento. Na segunda-feira, autoridades como o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o secretário do Tesouro, Mansueto Almeida, e o senador Izalci Lucas (PSDB-DF), participaram de painéis. Todos estiveram contato com Cruz. Nenhum dos três informou se teve sintomas da doença.

Conforme o jornal O Estado de S. Paulo, a dirigente da ONG esteve na Alemanha e na Noruega no Carnaval. Juntos, os dois países já registraram mais de 1.300 casos da doença, que teve como epicentro a cidade de Wuhan, na China. Cruz começou a passar mal no fim da tarde de ontem. Teve sintomas de gripe e foi a um hospital particular, onde passou por testes do coronavírus. A expectativa é que o resultado dos exames saia em até dois dias. Por ora, conforme o jornal, ela segue em isolamento em um hotel de Brasília.

Dezenas de jornalistas também estiveram no encontro. O ministro da Educação, Abraham Weintraub, não participou das discussões promovidas por uma das principais entidades que atuam no setor do qual ele é o dirigente máximo do país. Contudo, em sua conta no Twitter, resolveu zombar da eventual infecção de Cruz. Depois de tecer várias críticas a ela, ele disse: “Para fechar o bloco de informações sobre Priscila Cruz e sua ONG ‘Todos pela Educação’: CORONAVÍRUS!!!”. A presidente da ONG é uma das críticas à gestão Weintraub. Ele a acusa de tentar derrubá-lo do cargo.

O "Encontro Anual Educação Já" ocorreria durante três dias, na sede da instituição, em Brasília. Conforme a programação inicial, nesta terça participariam do evento o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), e seu secretário de educação, Rossieli Soares.

No Brasil, há 31 casos suspeitos de coronavírus. Os dados são do Ministério da Saúde e de secretarias estaduais de saúde. O caso da dirigente da ONG ainda não consta desta relação pois depende da análise laboratorial que ainda está sendo feita.

Mais informações