Avaliação de Bolsonaro melhora e supera percepção negativa, aponta pesquisa

Levantamento CNT/MDA feito na semana passada se encerrou em meio à queda do ex-secretário da Cultura que fez alusão nazista

Levantamento encomendado pela Confederação Nacional do Transporte (CNT) ao Instituto de Pesquisa MDA mostra que a aprovação ao presidente Jair Bolsonaro subiu, assim como a percepção positiva sobre seu Governo. De acordo com a pesquisa divulgada nesta quarta-feira, 34,5% da amostragem de 2.002 pessoas entrevistadas em 137 municípios de 25 Estados avaliam a gestão federal como ótima ou boa, enquanto 47,8% aprovam o desempenho pessoal do presidente. Por outro lado, a reprovação tanto do Governo quanto a Bolsonaro também caiu, registrando índices de 31% e 47%, respectivamente.

Segundo os dados do estudo, Bolsonaro volta a experimentar um percentual maior de avaliação positiva que negativa, tal qual no início de seu Governo. Em fevereiro de 2019, 57,5% aprovavam o presidente, contra 28,8% que exibiam insatisfação. Na última versão da pesquisa, em agosto, sua reprovação havia atingido o ápice, com 53,7%, número semelhante ao de Dilma Rousseff no começo de 2015, ano em que o processo de impeachment foi acolhido pelo Congresso Nacional.

A notícia sobre a recuperação de Bolsonaro aparece num momento em que o Governo lida com o episódio que provocou a demissão do então secretário de Cultura, Roberto Alvim, por causa de um vídeo inspirado em falas do ministro da propaganda nazista, Joseph Goebbels. O levantamento, porém, não capta toda a reação do caso: as entrevistas foram realizadas entre 15 e 18 de janeiro. Alvim foi demitido na última sexta-feira, dia 17.

Mais informações

O vídeo de Alvim provocou rechaço generalizado e ampla repercussão nas redes. De acordo com Andrei Roman, diretor-executivo do Atlas Político, que presta consultoria com pesquisas de opinião atualizadase em tempo real, a rejeição ao Governo Bolsonaro aumentou cerca de 5 pontos percentuais após a repercussão negativa do vídeo. “Isso revela uma volatilidade cada vez maior da avaliação do presidente e do Governo em função de eventos específicos”, diz Roman.

Expectativas econômicas

O levantamento da CNT/MDA ainda aponta que 36,2% dos entrevistados dizem acreditar que o Brasil melhorou após um ano de Governo Bolsonaro. Já 37,4% acham que a situação permanece inalterada, e outros 25% opinam que piorou. Entre os que enxergam um país melhor, 48,7% destacam a economia como maior evolução durante seu mandato e 46,8% entendem que a corrupção diminuiu em relação aos últimos Governos —um percepção positiva apesar de o filho do presidente, senador Flávio Bolsonaro, está sendo investigado sob suspeita de lavagem de dinheiro e apropriação indevida de parte dos salários de servidores no Rio.

Além da aprovação, a pesquisa também mediu as intenções de voto para a corrida presidencial em 2022. Em sondagem espontânea, Bolsonaro (sem partido) lidera com 29,1%, seguido pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), com 17%, e Ciro Gomes (PDT), que soma 3,5% das intenções. O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, aparece com 2,4%, à frente de Fernando Haddad (PT), com 2,3%, João Amoêdo (NOVO), com 1,1%, e do apresentador Luciano Huck, mencionado por 0,5% dos entrevistados.