Harvey Weinstein

Gwyneth Paltrow foi figura-chave para desmascarar Harvey Weinstein

Livro escrito por duas jornalistas do ‘The New York Times’ que impulsionaram o movimento MeToo revela a colaboração da atriz desde o início da investigação sobre os abusos sexuais do produtor

A atriz Gwyneth Paltrow, em Paris.
A atriz Gwyneth Paltrow, em Paris.gtresonline

MAIS INFORMAÇÕES

Gwyneth Paltrow teve um papel crucial em derrubar Harvey Weinstein, mas demorou a falar contra o produtor porque temia que ele fosse “sórdido'' e destruísse sua carreira, segundo revela o livro She Said: Breaking the Sexual Harassment Story That Helped Ignite a Movement (Ela disse: noticiando o caso de assédio sexual que ajudou a iniciar um movimento, em inglês), que mostra novos detalhes da queda de Weinstein desde 2017. Em outubro daquele ano, vários artigos publicados no The New York Times e na revista New Yorker revelaram as acusações contra o produtor que deram origem ao movimento #MeToo contra o abuso sexual. Agora, duas jornalistas que participaram daquela investigação, Jodi Kantor e Megan Twohey, ambas ganhadoras do Pulitzer, reúnem tudo em um livro.

A obra, que começa a ser vendida nesta terça-feira, também detalha como uma advogada do produtor tentou manchar a reputação de suas supostas vítimas e inclui uma carta escrita por Bob Weinstein a seu irmão em 2015. “Com sua má conduta você envergonhou a família e a empresa. Sua reação, mais uma vez, foi jogar a culpa na vítima”, escreveu Bob Weinstein ao seu irmão e sócio na produtora The Weinstein Company. “Se você acha que não há problemas com sua má conduta, [...] então a anuncie à sua mulher e à sua família”, desafiou.

Segundo o livro, a atriz Gwyneth Paltrow colaborou discretamente com as jornalistas que investigaram o comportamento sexual inapropriado do produtor. “Paltrow desempenhou um papel muito mais ativo do que se soube”, disse Kantor, repórter do NYT, à rede CBS. “Mas foi horripilante para ela, porque Harvey Weinstein tinha sido uma influência importante demais.”

Paltrow, hoje com 46 anos, contou que, quando tinha 22, Weinstein a chamou a um quarto do hotel Peninsula Beverly Hills, pôs as mãos em seu corpo e sugeriu que se fizessem massagens. Isso aconteceu em 1996, depois que o produtor a escolheu para o papel de Emma, protagonista de Shakespeare Apaixonado, filme pelo qual Paltrow ganhou um Oscar. Em outra ocasião, diz o livro, havia uma festa na casa da atriz e Weinstein chegou muito cedo, então ela se escondeu no banheiro e ligou para jornalistas perguntando o que fazer.

Gwyneth Paltrow foi decisiva na campanha contra Weinstein porque, segundo as autoras, além de oferecer seu próprio testemunho também recrutou outras estrelas de Hollywood para falarem contra ele. Desde então, mais de 80 mulheres fizeram acusações contra o produtor, de 67 anos, que será julgado em janeiro por “agressões sexuais e comportamento sexual predatório”.

Em entrevista à CBS, Kantor e Meghan Twohey, também do NYT, disseram que inicialmente era muito difícil convencer qualquer vítima a colaborar. Por isso Paltrow logo no começo se tornou uma fonte “crucial”, apesar de se negar a aparecer publicamente. “Gwyneth Paltrow foi uma das maiores estrelas de Harvey”, disse Twohey. “Apresentou-se como um padrinho para ela. Muita gente se surpreenderia ao descobrir que quando tantas outras atrizes relutavam em falar por telefone e tinham medo de dizer a verdade sobre o que tinham passado em suas mãos, Gwyneth era uma das primeiras pessoas a falarem e estava decidida a ajudar nessa investigação.”

Kantor deu novos detalhes sobre o momento em que Weinstein supostamente atacou Paltrow: “Ela recebeu um fax de seu agente dizendo onde deveria se apresentar. Então ela foi ao quarto do hotel. A reunião foi bem pouco notável, e no final ele lhe disse: ‘Vamos terminar no dormitório’.”

Paltrow se negou e contou o fato ao seu então namorado, o ator Brad Pitt, que confrontou Weinstein na estreia de um filme e lhe disse para se manter afastado dela, enfurecendo o produtor. “Se alguma vez você voltar a incomodá-la eu te mato”, disse o galã ao produtor, segundo revelou Paltrow em maio de 2018. Conforme acrescenta agora a versão de Kantor, Weinstein não ficou calado e advertiu a atriz: “Você vai arruinar toda sua carreira se contar às pessoas sobre isto”.

Arquivado Em: