McGowan diz que foi seu parceiro quem vazou mensagens que incriminam Argento por abuso sexual

Em nota enviada à imprensa, a atriz diz que “tudo mudou” na sua amizade com Argento e lança uma provocação: “Seja a pessoa que você gostaria que Harvey Weinstein tivesse sido”

Asia Argento, à esquerda, com Rose McGowan em uma manifestação em Roma em março
Asia Argento, à esquerda, com Rose McGowan em uma manifestação em Roma em março

São talvez as duas vozes mais poderosas entre as que deram início ao movimento #MeToo. As duas denunciaram os abusos sexuais do produtor Harvey Weinstein no final do ano passado. Nesta segunda-feira, 27, mais de uma semana depois de a atriz e ativista Asia Argento ser acusada de ter abusado sexualmente de um menor, a também atriz e ativista Rose McGowan revelou seus sentimentos a respeito. E contou mais. Por exemplo, que foi seu parceiro amoroso quem vazou as mensagens de texto de Argento que abalaram gravemente a credibilidade dela perante a opinião pública.

Mais informações

No último dia 20, o The New York Times revelou que, pouco depois de Argento denunciar publicamente o comportamento criminal de Weinstein, um ator chamado Jimmy Bennet exigiu dela uma compensação econômica por tê-lo supostamente atacado sexualmente num quarto de hotel. Ele tinha 17 anos, o que significa abuso contra menores. Argento admitiu ter pagado pelo silêncio de Bennett, mas negou publicamente que tenha feito sexo com ele.

No dia seguinte ao desmentido, vieram a público fotos dos dois na cama e mensagens de texto em que Argento supostamente confirmava a alguém que havia feito sexo com Bennett, embora argumentasse que a iniciativa partiu dele. A contradição, em todo caso, afundava sua credibilidade sobre o dado mais importante.

Em nota enviada à imprensa, McGowan diz que “tudo mudou” na sua amizade com Argento, a quem ela conheceu já como ativista do MeToo. McGowan disse que as mensagens reproduzidas haviam sido trocadas entre Argento e o modelo andrógino Rain Dove, parceiro de McGowan. Dove lhe mostrou as mensagens que contradiziam a versão de Argento e lhe disse também que, segundo ela, Bennett lhe mandava fotos nu desde os seus 12 anos (conheceram-se numa filmagem quando Bennett tinha 8). Argento, segundo essa versão, nunca lhe pediu que parasse.

Depois desse diálogo, segundo a nota, Rain Dove levou o material à polícia. McGowan o incentivou a fazer isso. “O difícil foi de repente me dar conta de que tudo que o movimento #MeToo defendia estava em risco”, diz McGowan. “Quase 48 horas depois [de entregar o material à polícia], as mensagens estavam na imprensa.” Segundo McGowan, Argento tinha mencionado certa vez que estava sendo extorquida, mas ninguém soube até a semana passada a quem se referia.

“É triste perder a uma amiga. Mas mais triste é o que aconteceu com Jimmy Bennett”, diz McGowan. “Seja verdade ou não a extorsão, não é justo e não é certo. É o tipo de coisa contra a qual lutei junto a tantos outros. A razão pela qual não tinha lançado um comunicado ainda é porque francamente este caso me serviu como uma extrema lição de humildade [...]. Como vítima, meus sentimentos de fúria estão justificados. Mas sei que os acusados são amigos, pais e familiares de outras pessoas [...]. Deveríamos encontrar uma maneira melhor de equilibrar o apoio às vítimas com o direito ao devido processo dos acusados.”

O comunicado termina falando diretamente com Asia Argento: “Asia, você era minha amiga. Eu gostava de você. Você gastou e arriscou muito para defender o movimento Me Too. Espero de verdade que encontre o caminho neste processo para a reabilitação e a melhora. Todo mundo pode ser melhor, espero que você também possa. Faça o que é certo. Seja honesta. Seja justa. Deixe que a justiça vá em frente. Seja a pessoa que você gostaria que Harvey Weinstein tivesse sido.”