EL PAÍS Brasil vence prêmio Geneton Moraes Neto de jornalismo

Reportagem sobre a favela do Parque Cidade Jardim, de André de Oliveira, leva honraria organizada pela Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj)

Divilgação

O EL PAÍS Brasil foi o grande vencedor do Prêmio Geneton Moraes Neto de Jornalismo anunciado nesta segunda-feira em Recife. A reportagem "A favela do Parque Cidade Jardim: uma metáfora da São Paulo Moderna", do repórter André de Oliveira, foi a escolhida pelos jurados como a melhor produção que refletiu o tema do prêmio deste ano, Memória e Cidade. A reportagem "À luz de Verger", de Mateus Araújo, foi a segunda colocada, e o texto "Pelo caminhar", de Roberta Soares, o terceiro - ambos publicados no Jornal do Comércio, de Recife.

O prêmio, organizado pela Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), com sede em Recife, é uma homenagem ao escritor, jornalista e documentarista pernambucano Geneton Moraes, que morreu em 2016, aos 60 anos, no Rio de Janeiro. A seleção e escolha dos trabalhos foi feita por uma comissão composta por cinco membros: um representante da Fundaj, um representante do Sindicato dos Jornalistas de Pernambuco, um representante do Ministério da Educação, um representante da Federação Nacional de Jornalistas e um representante da Intercom - Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação.

Mais informações

"Quarta-feira, meio-dia e pouquinho, solão de rachar o coco e o pessoal, no melhor estilo paulistano, já se enfileirando para conseguir uma mesa em um dos três restaurantes daquela viela sem nome. Nem a pasmaceira da primeira semana do ano foi capaz de desanimar a clientela cativa", inicia o texto de Oliveira, em que descreve o cotidiano de funcionários do complexo de luxo do shopping Cidade Jardim, em São Paulo, que almoçam em uma favela vizinha e são o fio condutor para um debate sobre urbanismo, segregação e desigualdade.