Ciclo FAAP/EL PAÍS trata sobre assédio no ambiente de trabalho

Pesquisa no mercado publicitário em São Paulo revela que mais de 90% das mulheres já sofreram assédio sexual. Em 30% dos casos, a conduta partiu do presidente ou sócio da agência

Que o assédio sexual e moral está encrustado nas corporações brasileiras não chega a ser novidade. Mas ao olhar com lupa a pesquisa Hostilidade, silêncio e omissão: o retrato do assédio no mercado de comunicação de São Paulo, realizada pela entidade do mercado publicitário Grupo de Planejamento, fica patente que o desrespeito nas relações de trabalho que ultrapassa qualquer limite ético é uma prática assustadoramente presente. Segundo o levantamento, feito com 1.400 pessoas do mercado de agências de publicidade, mais de 90% das mulheres já sofreram assédio sexual. Dentre estas, 30% foram assediados pelo presidente ou por algum sócio da agência.

Algumas situações relatadas pelas entrevistadas incluem tapas na bunda, tocar na vagina ou nas coxas - situações que pela lei brasileira podem ser consideradas estupro. O assédio moral também é uma constante que afeta 89% das mulheres e 85% dos homens. Assédio moral é qualquer situação de humilhação e constrangimento repetida e prolongada. É com base nessa pesquisa que a FAAP, com apoio do jornal EL PAÍS, vai debater o tema “Assédio no Ambiente de Trabalho”, nesta segunda-feira 12, no auditório 1 da FAAP, dentro do ciclo FAAP/EL PAÍS, que realizou três encontros no ano passado.

Mais informações

Os dados da pesquisa foram levantados pelo instituto de pesquisa Qualibest, sob coordenação de Ana Cortat, conselheira do GP e cofundadora da Hybrid Colab, uma consultoria de transformação de negócios e design de pesquisa comportamental e conselheira do GP,  e Ken Fujioka, presidente do conselho do GP e consultor de estratégia. Os resultados da pesquisa podem ser acessados aqui.

O debate na FAAP acontece na rua Alagoas, 903, portaria G1. Quem quiser participar precisa ir munido de documento de identificação com foto e chegar com pelo menos 30 minutos de antecedência para cadastramento. A participação é sujeita à lotação do auditório. O debate também será transmitido ao vivo pela TV FAAP e pelas páginas do EL PAÍS e da FAAP no Facebook.