Seleccione Edição
Login

Catherine Deneuve pede perdão às vítimas de abusos após artigo contra “puritanismo sexual”

Atriz francesa lamentou que seu apoio ao polêmico texto tenha sido tirado de contexto

Catherine Deneuve 'Time’s Up'
Deneuve, em fevereiro de 2017 AFP

A legendária atriz francesa Catherine Deneuve lamentou, num artigo publicado no jornal Libération, que seu apoio ao polêmico texto sobre a “liberdade masculina de importunar” tenha sido tirado de contexto, e pediu perdão às vítimas de abusos que se sentiram ofendidas pelo texto, do qual era uma das signatárias.

“Evidentemente nada naquele texto pretende apresentar o assédio como algo bom. Se fosse assim, não o teria assinado”, justificou-se a atriz de filmes como A Bela da Tarde (1967). Deneuve sente que o texto publicado no começo da semana passada no Le Monde – uma defesa do direito ao flerte e ao galanteio e contra o “puritanismo” das feministas – foi manipulado por outras mulheres que também o assinaram. “Dizer num canal de televisão que é possível ter orgasmo durante um estupro é pior que cuspir na cara de todas aquelas que sofreram esse crime”, afirmou a veterana atriz, em alusão à apresentadora Brigitte Lahaie.

Catherine Deneuve reiterou que subscreveu o libelo contra “o puritanismo” porque se opõe ao simplismo e “aos efeitos de manada” causados por movimentos como o que usa o lema “denuncie o seu porco”, que surgiu em reação aos graves abusos sexuais cometidos pelo produtor de cinema norte-americano Harvey Weinstein.

A atriz criticou a adesão de “conservadores, racistas e tradicionalistas” e evocou seu apoio à campanha “Eu abortei”, no início da década de setenta, quando a interrupção voluntária da gravidez ainda era um crime na França. “Saúdo fraternalmente todas as vítimas de todos os repugnantes atos que possam ter se sentido ofendidas por esse artigo no Le Monde. É a elas e unicamente a elas que apresento minhas desculpas”, concluiu.

MAIS INFORMAÇÕES