Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Arthur, o ‘Iniesta brasileiro’ na mira do Barcelona

Revelação do Grêmio acerta mais de 93% dos passes e mantém negociação avançada com time espanhol

Arthur Barcelona Gremio
Arthur foi eleito a revelação do Campeonato Brasileiro. Getty

A foto com a camisa do Barcelona vazada no último fim de semana chateou os torcedores gremistas. Nem tanto por um suposto sentimento de traição, mas por escancarar a possibilidade, cada vez mais real, de a principal revelação do Grêmio na temporada deixar o clube. Arthur, de 21 anos, despertou não só o interesse do Barça, mas também de equipes como Atlético de Madri, Juventus e Inter de Milão. Chamou a atenção ainda de Tite, técnico que o convocou pela primeira vez para a seleção brasileira depois de se encantar com sua atuação contra o Botafogo, nas quartas de final da Copa Libertadores. O treinador acompanhou do estádio a partida em que o volante acertou todos os 47 passes que tentou nos 90 minutos. Igualmente fascinado, Renato Portaluppi, técnico do clube gaúcho, não hesitou em sentenciar: “Arthur é a galinha dos ovos de ouro do Grêmio”.

De fato, antes mesmo da aproximação do Barcelona, o volante de 1,72 m, carinhosamente chamado de “Rei Arthur” pelos companheiros, já havia subido de patamar no elenco tricolor. Um mês depois de ter sido convocado para os jogos diante de Bolívia e Chile com a seleção, pelas Eliminatórias sul-americanas, o Grêmio renovou seu contrato até o fim de 2021 e aumentou a multa rescisória para 50 milhões de euros (190 milhões de reais). Uma ascensão meteórica para um jogador que, no início da temporada, tinha apenas duas partidas pela equipe principal. Embora formado nas categorias de base gremistas, após deixar Goiás – estado onde nasceu –, aos 14 anos rumo a um novo desafio em Porto Alegre, Arthur passou despercebido por Luiz Felipe Scolari e Roger Machado, os antecessores de Portaluppi.

Sempre demonstrou boa visão de jogo e precisão nos passes, mas faltavam-lhe mais intensidade e força ofensiva. Aos poucos, tem adicionado ao seu estilo a tão cobrada dinâmica nos avanços ao ataque. Porém, segue se destacando mais pela construção de jogadas do que pelas ações incisivas. Em 52 jogos pelo Grêmio, soma apenas dois gols e duas assistências em seu portfólio. Mas, por outro lado, ostenta números invejáveis para meias armadores. Foi eleito o melhor volante do Campeonato Brasileiro, em que terminou como o jogador que mais acertou passes (1.962) na competição – apesar de ter disputado somente 27 dos 38 jogos do Grêmio, já que o clube decidiu poupar seus principais jogadores no torneio nacional para se dedicar à Libertadores.

Com índice superior a 93% de acerto nos passes, fez sua melhor partida com a camisa tricolor justamente na final da competição continental contra o Lanús. Esteve impecável no primeiro tempo, se apresentando para o jogo e driblando adversários no meio-campo com a frieza de um veterano. Deixou o campo no início do segundo tempo devido a uma lesão no tornozelo esquerdo, que o impedirá de disputar o Mundial de Clubes, nos Emirados Árabes. Ainda assim, ele foi escolhido como melhor jogador da final e consagrou uma temporada de consolidação da carreira. “Era questão de tempo e oportunidade para que o Arthur mostrasse seu potencial”, afirma ao EL PAÍS o empresário Jorge Machado, que trabalha com o jogador desde 2014. “Ele passou por todas as fases de formação no Grêmio. Foi bem lapidado, não queimou etapas. Por isso, mesmo disputando uma final de Libertadores, na casa do adversário, ele parecia um jogador de 30 anos. Não sente a pressão.”

O encontro em que Arthur vestiu a camisa do Barcelona e posou para foto ao lado de Robert Fernández, secretário técnico do clube catalão que já havia observado a atuação do jogador em Buenos Aires, e André Cury, representante do Barça no Brasil, aconteceu na casa de Jorge Machado. Seu agente assegura que a foto foi apenas uma retribuição de gentileza ao dirigente culé, que presenteou o volante com a camisa. Também reitera que nenhum compromisso foi firmado com o Barcelona. No entanto, não descarta a hipótese de um acerto nos próximos dias. “Seria hipocrisia dizer que o Arthur não quer jogar na Europa. Ele tem esse desejo e não esconde de ninguém. É um jogador com características semelhantes às de Xavi e Iniesta. Se encaixaria muito bem em uma equipe do porte do Barcelona. Já recebemos sondagens de vários clubes, mas ele não tem preferência. A prioridade vai ser por quem se acertar com a gente e pagar a multa rescisória ao Grêmio.”

Arthur vestiu a camisa do Barcelona em encontro com emissários.
Arthur vestiu a camisa do Barcelona em encontro com emissários.

Segundo representantes brasileiros envolvidos na negociação, o primeiro contato do Barça com Arthur e seus familiares foi “muito positivo”. O Barcelona entende que, por seu estilo de jogo, o volante tem credenciais para ser o sucessor de Andrés Iniesta. O espanhol, assim como Arthur em 2018, já teve média superior a 2.000 passes distribuídos por temporada. Aos 33 anos, o meia assinou um contrato vitalício com o Barça, mas não resiste a tantos minutos em campo como no auge da carreira. O plano para Arthur, que se espelha em Iniesta e poderia desenvolver seu jogo ofensivo ao lado do ídolo, seria uma passagem de bastão parecida com a de Ronaldinho Gaúcho para Lionel Messi. O que não impediria que eventualmente atuassem juntos, de acordo com as opções do treinador.

Ronaldinho, aliás, voltou a despertar a ira de gremistas por causa do vazamento da foto de Arthur com a camisa do Barcelona. Alguns torcedores e até dirigentes do Grêmio, de maneira reservada, acusam o sobrinho do ex-craque, Diego Assis, que estava presente na reunião, de ter vazado a imagem. Revelado pelo clube gaúcho, Ronaldinho se tornou desafeto após a saída em litígio para o PSG, em 2001, e sobretudo pelo retorno frustrado em 2011, quando o Grêmio chegou a dar sua contratação como certa, mas ele acabou indo parar no Flamengo. “Alguém tentou nos prejudicar vazando a foto. Mas isso só nos ajudou”, diz Machado. O vazamento gerou um novo embate de bastidores entre Grêmio e Barcelona. Representantes do clube catalão se desculparam com a diretoria gremista, que ameaçou denunciar o Barça à FIFA por aliciamento. Em abril, o time brasileiro já havia acusado o Barcelona por recrutar o jovem Manu, de 10 anos, em suas categorias de base.

Enquanto o Grêmio, detentor de 70% dos direitos econômicos, recusa-se a negociar sua revelação por menos de 50 milhões de euros, o Barça precisa contornar o conflito diplomático para tentar baixar o valor e sacramentar o negócio. Alheio à polêmica e aos detalhes burocráticos, Arthur se pronunciou na última segunda-feira antes de receber o prêmio de revelação do Campeonato Brasileiro, confirmando a negociação com o time blaugrana. “Não tenho nada assinado com o Barcelona. Foi apenas um começo de conversa. Vou sentar com minha família e o Grêmio para decidir o meu futuro.”

MAIS INFORMAÇÕES