Tempestade tropical Nate deixa ao menos 22 mortos na América Central

As fortes chuvas atingiram Costa Rica, Nicarágua e Honduras e avançam para México e EUA

Algumas pessoas olham uma estrada parcialmente destroçada pelas chuvas em Costa Rica.
Algumas pessoas olham uma estrada parcialmente destroçada pelas chuvas em Costa Rica.Juan Carlos Ulate (Reuters)

Ao menos 22 pessoas morreram na América Central após a passagem da tempestade tropical Nate que avança nesta quinta-feira para México e EUA. Nicarágua é o país mais afetado com 11 mortos e sete desaparecidos. Cerca de 10.000 pessoas foram afetadas por inundações, deslizamentos de terra ou tiveram suas casas danificadas.

Mais informações

Na Costa Rica, oito pessoas morreram, entre elas uma menor de três anos, e 15 estão desaparecidas. Há mais de 5.000 evacuados, inundações e danos na infraestrutura do país. O Governo declarou estado de emergência nacional, fechou as escolas e suspendeu os serviços "não essenciais".

A tormenta é um dos piores desastres naturais dos últimos anos na Costa Rica. Em algumas regiões do país caíram nas últimas 24 horas uma quantidade de chuva equivalente à média de todo outubro passado, segundo as autoridades. Comunidades inteiras e comércios ficaram alagados, alguns até a altura do teto, assim como plantações agrícolas, ao que se somam pontes desmoronadas e estradas seriamente afetadas. Os aeroportos seguem funcionando, embora várias das linhas aéreas tenham cancelado ao menos cerca de 20 voos nesta quinta-feira como medida de prevenção.

Nate, que seguirá provocando fortes chuvas na Costa Rica ao menos até esta sexta-feira, deixou também três mortos em Honduras. A tormenta tropical, que produz ventos que chegam a 65 quilômetros por hora, com rajadas de maior intensidade, é a de número 15 desta temporada de furacões no Atlântico. 

A previsão é que Nate saia novamente no mar do Caribe. Ali, poderia se fortalecer e se dirigir até a península de Yucatán, no México, onde poderia causar impactos naa últimas horas da sexta-feira, segundo o prognóstico do NHC. Os meteorologistas estimam que, depois de sair ao golfo do México e antes de alcançar os EUA, Nate poderia se converter em um furacão.

Enquanto isso, deixará um acúmulo de chuva de até 762 milímetros na Nicarágua, de 508 milímetros na Costa Rica e Panamá, de até 508 milímetros em Honduras e Belize e até 203 milímetros nas áreas orientais de Yucatán (México).

A atual temporada de furacões está sendo muito ativa na região com cinco destes fenômenos nas categorias de maior escala (3, 4 e 5). O maior número desde 2005, com a formação de Harvey, María, Irma, Lee e José.