O drama da imigração

Goleira da seleção gambiana morre afogada ao tentar chegar à Europa

A futebolista Fatim Jawara, de 19 anos, naufragou em uma travessia de barco a partir da Líbia

Pertences deixados pelos migrantes no chão de uma das bateiras que fugia de Líbia.
Pertences deixados pelos migrantes no chão de uma das bateiras que fugia de Líbia.Emilio Morenatti (EP)

Fatim Jawara, goleira da seleção de futebol feminino de Gâmbia, morreu há cerca de um mês, enquanto tentava chegar à Europa num barco, em busca de um futuro melhor. A notícia foi confirmada por Chorro Mbenga, treinadora adjunta da seleção gambiana sub-17. “Sua morte é prematura, nos lembraremos dela por suas atuações em campo”, disse. O presidente da Federação Gambiana de Futebol, Lamin Kabba, manifestou sua consternação. “Estamos desesperados. É uma perda enorme para a equipe nacional e para o país”, disse numa mensagem divulgada por meio do Facebook pela Federação de Futebol da Gâmbia.

Jawara estreou na seleção sub-17 em 2012, no Azerbaijão. Até sair do país fazia parte da seleção feminina, conhecida como Red Scorpions, na qual estreou há um ano num amistoso contra uma equipe de Glasgow. Acredita-se que ela tenha saído de Gâmbia em setembro para atravessar o Saara e rumar para a Líbia, onde a maioria dos imigrantes africanos começa a travessia marítima para a Europa. Como Jawara, mais de 3.771 pessoas morreram em 2015 no Mediterrâneo tentando chegar à Europa, de acordo com a Organização Internacional para as Migrações (OIM).

Gâmbia é um país pequeno, sua população não chega aos dois milhões de habitantes, mas de acordo com o ACNUR ocupa o quinto lugar entre os países africanos emissores de migrantes para a Europa em 2015.

O ministro da Informação gambiano alertou na semana passada sobre o “assassinato em massa de jovens imigrantes africanos em praias e águas europeias” e denunciou a falta de ação dos países europeus, que acusou de “genocídio racista”. Em Gâmbia, 60% da população vive com menos de 1,25 dólares (cerca de 4 reais) por dia, de acordo com um relatório da Organização das Nações Unidas (ONU).

Arquivado Em: