Caso Eduardo Cunha

Conselho de Ética adia votação de parecer sobre Eduardo Cunha

Grupo pró-cassação atuou para postergar decisão para impedir vitória de peemedebista Tia Eron, dona do voto decisivo no caso, não registrou presença na sessão da instância

O Conselho de Ética da Câmara adiou nesta terça a votação do parecer do relator, Marcos Rogério (DEM-RO), que recomenda a cassação do mandato parlamentar do presidente afastado da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Grupo pró-cassação atuou para postergar decisão para impedir uma possível vitória de peemedebista. A estratégia foi posta em prática após a deputada Tia Eron (PRB-BA), dona do voto decisivo no caso, não registrar presença na sessão e dar lugar a um aliado de Cunha. A sessão desta terça-feira foi dominada pela discussão em torno do pedido feito pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot ao Supremo Tribunal Federal (STF) pela a prisão de Eduardo Cunha e de outros três nomes da cúpula do PMDB: Renan Calheiros (presidente do Senado), senador Romero Jucá e o ex-presidente da República José Sarney. Originalmente remarcada para estar quarta, a nova sessão do Conselho de Ética ainda não tem nova data.

Veja como foi a sessão e acompanhe as últimas notícias sobre o caso: