Conselho de Ética adia votação de parecer sobre Eduardo Cunha

Grupo pró-cassação atuou para postergar decisão para impedir vitória de peemedebista

Tia Eron, dona do voto decisivo no caso, não registrou presença na sessão da instância

Eduardo Cunha votação Conselho de Ética
Conselho de Ética:  Eduardo Cunha (PMDB), presidente afastado da Câmara.

O Conselho de Ética da Câmara adiou nesta terça a votação do parecer do relator, Marcos Rogério (DEM-RO), que recomenda a cassação do mandato parlamentar do presidente afastado da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Grupo pró-cassação atuou para postergar decisão para impedir uma possível vitória de peemedebista. A estratégia foi posta em prática após a deputada Tia Eron (PRB-BA), dona do voto decisivo no caso, não registrar presença na sessão e dar lugar a um aliado de Cunha. A sessão desta terça-feira foi dominada pela discussão em torno do pedido feito pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot ao Supremo Tribunal Federal (STF) pela a prisão de Eduardo Cunha e de outros três nomes da cúpula do PMDB: Renan Calheiros (presidente do Senado), senador Romero Jucá e o ex-presidente da República José Sarney. Originalmente remarcada para estar quarta, a nova sessão do Conselho de Ética ainda não tem nova data.

Veja como foi a sessão e acompanhe as últimas notícias sobre o caso:

MAIS INFORMAÇÕES