Guerra na Síria

Pelo menos 28 mortos em ataque aéreo a campo de refugiados na Síria

Acampamento está localizado próximo à fronteira com a Turquia

Barracas destruídas após o suposto ataque. A foto foi publicada no Twitter.
Barracas destruídas após o suposto ataque. A foto foi publicada no Twitter.

MAIS INFORMAÇÕES

Pelo menos 28 pessoas, incluindo mulheres e crianças, morreram durante um ataque aéreo em um campo de refugiados no norte da Síria, segundo testemunhas e o Observatório Sírio de Direitos Humanos, de acordo com informações da BBC e da agência France Presse.

Os fatos ocorreram no campo de Al Camouna, próximo a Sarmada, na província de Idlib, ao lado da fronteira com a Turquia. Não existem números oficiais sobre as vítimas e os danos causados pelo suposto ataque aéreo, nem sobre quem o realizou. O acampamento é ocupado por refugiados da guerra na Síria.

A Casa Branca condenou o ataque em uma declaração na qual frisa que não existe nenhum motivo que justifique uma ofensiva contra civis inocentes.

As imagens nas redes sociais mostram barracas destruídas e incendiadas, assim como o trabalho dos bombeiros para apagar as chamas e realizar a evacuação das vítimas. Não há nenhuma confirmação independente sobre a veracidade das imagens. O Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH) afirma que muitas pessoas estão gravemente feridas.

Sarmada fica a 30 quilômetros de Aleppo, onde a Rússia e os Estados Unidos acertaram uma extensão da trégua. O diretor do OSDH, Rami Abdel Rahman, afirmou que a província é controlada pela Frente Al-Nusra, a filial síria da Al Qaeda, e seus aliados.

O aumento das hostilidades em Aleppo desde 22 de abril, que já causou trezentas mortes, arruinou o cessar-fogo geral acertado em 27 de fevereiro, e deixou em ponto morto o processo de negociação de paz que começou em janeiro em Genebra (Suíça), sob a tutela da ONU.

As armas silenciaram no sábado em duas frentes ativas – Guta Oriental, na província de Damasco, e no norte da Latakia, na costa mediterrânea –, mas na terça-feira ocorreram combates no bastião rebelde próximo à capital síria.

Arquivado Em: