música brasileira

Aniversário de Cazuza é comemorado pelo Google

No dia 4 de abril, quando completaria 58 anos de idade, Cazuza ganha um Doodle de presente

MAIS INFORMAÇÕES

No dia 4 de abril, quando completaria 58 anos de idade, Cazuza ganha presente de aniversário do Google. O buscador celebra com um Doodle (logo especial) o nascimento do artista, fundamental na história do rock brasileiro.

Nascido no Rio de Janeiro como Agenor de Miranda Araújo Neto, Cazuza (4 de abril de 1958 - 7 de julho de 1990) começou no meio musical como vocalista do Barão Vermelho mas ganhou visibilidade e destaque pelas composições apaixonadas e politizadas que se transformaram em clássicos do rock nacional. 

Algumas de suas canções foram traduzidas para o espanhol e se consagraram como representação do que acontecia também na América Latina, transcendendo a realidade política brasileira, como é o caso de  O tempo não para, que virou El tiempo no para na voz dos argentinos Bersuit Vergabat, mostrando que o que acontecia no Brasil nos anos 80 não era só nosso e que naquele então, "transformar o país inteiro num puteiro" não era exclusividade brasileira.

Mais do que um compositor, o poeta Cazuza foi um dos grandes intérpretes da realidade do país. Suas canções viraram temas de novela e se instalaram definitivamente no imaginário popular do país.

Um dos primeiros homossexuais assumidos em plena efervescência cultural dos anos 80, Cazuza viveu uma relação afetiva com Ney Matogrosso, que chegou a afirmar que este foi um dos grandes amores de sua vida. Comparado a Freddy Mercury, Cazuza  lutou contra a AIDS na época em que a enfermidade era estigmatizada como uma doença pecaminosa exclusiva dos homossexuais.

Romântico, rebelde, politizado, a luta que Cazuza travou contra a AIDS e o preconceito continua viva através da batalha de sua mãe, Lucinha Araújo, fundadora da Sociedade Viva Cazuza, uma ONG que desde a morte do artista assumiu a missão de dar assistência a crianças e adolescentes portadores do vírus da AIDS.

Na data de seu aniversário, o nascimento e a obra de Cazuza também foram celebrados por diversos artistas brasileiros nas redes sociais, chegando aos Trending Topics Brasil no Twitter (principais temas debatidos na rede social) e também no Google, sendo o tema mais buscado no dia de hoje.

Um dos ícones pró-impeachment, Lobão homenageou o carioca através dos 140 caracteres. Os dois foram amigos nos anos 80 e criaram sete obras juntos. A homenagem, porém, levantou especulações: como Cazuza se posicionaria hoje? Seguiria os passos do amigo ex-petista que hoje canta "Dilma Bandida" nos poucos shows que consegue marcar?