Bem-estar social

Rio tem melhor qualidade de vida que São Paulo

Análise da consultoria Mercer aponta que os cariocas vivem melhor do que os paulistanos

Praia de Copacabana, no Rio.
Praia de Copacabana, no Rio. Fernando Frazão / Agência Brasil

No Rio de Janeiro se vive melhor do que em São Paulo. É isso o que aponta uma classificação feita pela consultoria Mercer sobre qualidade de vida. As duas cidades, entretanto, aparecem bastante mal posicionadas no ranking feito pela empresa, nas posições 117 e 121, respectivamente.

Mais informações

A lista, que inclui 230 cidades, é elaborada com base na análise de 10 variáveis – entre as quais o entorno social, político, econômico e cultural, bem como os serviços de saúde e educação, a disponibilidade de bens de consumo e o entorno natural– para definir quais são os melhores centros urbanos para expatriados. Viena é a cidade onde se vive melhor. A capital austríaca volta a ocupar mais uma vez o degrau mais alto da classificação.

A consultoria Mercer elabora todos os anos esse ranking voltado sobretudo às empresas. Justifica que é importante dispor de uma análise atualizada da qualidade de vida, principalmente para se fixar salários ou condições para os funcionários e os executivos nas cidades.

A segurança, afirma a consultoria, tem tido um peso importante na produção do relatório. “As crescentes ameaças globais à segurança, os deslocamentos da população, como resultado da violência, e o mal-estar social em alguns centros importantes de negócios são desafios adicionais que as empresas precisam enfrentar quando analisam a segurança e a saúde de seus empregados expatriados”, comentou Rafael Barrilero, sócio da consultoria.

Montevidéu, a mais bem avaliada da América Latina

A capital do Uruguai, Montevidéu, é a cidade latino-americana mais bem avaliada pela Mercer. Está em 78º lugar na lista, seguida de Buenos Aires (93), Santiago do Chile (94) e São José, na Costa Rica (105). As cidades pior posicionadas são Caracas (185), Havana (191) e Porto Príncipe (227), no Haiti.

Por outro lado, a qualidade de vida é alta na América do Norte, em particular no Canadá: Vancouver ocupa a quinta posição na lista, seguida por Toronto (15) e Ottawa (17). Nos Estados Unidos, San Francisco (28) está no posto mais elevado, vindo depois Boston (34), Honolulu (35), Chicago (43) e Nova York (44). A cidade com pior nota nos EUA é Detroit (70). No México, Monterrey (108) é a mais bem avaliada. A Cidade do México se situa no 127º posto.

Europa em duas velocidades

Viena ocupa há anos a primeira posição da classificação da Mercer, assim como a maioria das cidades que completam o top 10 da lista. Sete delas ficam no continente europeu: Zurique está no segundo lugar do ranking, seguida de Munique (4), Dusseldorf (6), Frankfurt (7), Genebra (8) e Copenhague (9).

Barcelona, em 39º, é a mais bem posicionada entre as cidades do sul da Europa. É seguida, dois níveis abaixo, por Milão (41) e, depois, Lisboa (42). Quando se olha mais para o oriente, porém, as coisas mudam: no posto 69, Praga é a cidade do Leste Europeu mais bem avaliada, seguida por Liubliana (76), na Eslovênia, e Budapeste (77). As localidades com pior qualidade de vida da região, e que se situam nos postos mais baixos da classificação mundial, são Kiev (176), Tirana (179) e Minsk (190).

De Cingapura a Daca, dois mundos num mesmo continente

Na Ásia, Cingapura triunfa como a cidade com melhor qualidade de vida, ficando no 26º lugar da lista, 188 posições acima da pior colocada na região, Daca (214), em Bangladesh. A segunda metrópole com melhor nota é Tóquio (44), que empata com Nova York, seguida por outra cidade japonesa, Kobe (46). Entre os grandes centros urbanos da região se encontram Hong Kong (70), Taipé (84), Kuala Lumpur (86), Xangai (101) e Pequim (118).

Na zona do Pacífico o destaque é a Austrália e a Nova Zelândia, que possuem algumas das cidades com melhor qualidade de vida do mundo: Auckland ocupa o terceiro posto no ranking mundial da Mercer, seguida por Sydney (10), Wellington (12) e Melbourne (15).

As cidades com pior qualidade de vida: na África e no Oriente Médio

As 10 posições mais baixas da classificação são ocupadas por cidades africanas e do Oriente Médio – com exceção da capital do Haiti (227). Uma vez mais a cidade com pior qualidade de vida, segundo a Mercer, é Bagdá. Na penúltima posição está Bangui, capital da República Centro-Africana, vindo depois Sanaa (228), no Iêmen, e Cartum (226), no Sudão.

A cidade com melhor qualidade de vida da região é Dubai (75), seguida por Abu Dabi (81) e Port Louis (83), em Maurício.

O mais visto em ...Top 50