Avalanche nos Alpes

Avalanche nos Alpes mata três e deixa vários adolescentes em estado grave

Serviços de resgate salvaram um grupo de estudantes, mas nem todos escaparam

MAIS INFORMAÇÕES

Entre os feridos está o professor dos adolescentes, que foi resgatado com várias fraturas e levado ao hospital universitário de Grenoble. Por volta de 20h (16h em Brasília), a operação de resgate — que incluía 300 agentes, três helicópteros e câmaras térmicas — já haviam encontrado todos os integrantes do grupo escolar, que em sua maior parte voltaria a Lyon imediatamente. Segundo a polícia e o diretor da estação de esqui, Thierry Hugues, um dos membros da equipe escapou ileso.

Segundo as primeiras informações, as vítimas da avalanche desciam por uma pista indicada para esquiadores experientes, chamada Bellecombe, que estava oficialmente fechada porque, segundo Hugues, ainda não estava preparada para o esqui. Um promotor de Grenoble abriu uma investigação sobre o acidente. Os jovens estudavam no liceu Saint-Exupéry, em Lyon, e haviam viajado à estação de esqui, uma das mais antigas da França, certamente em uma excursão de um só dia, como essa escola costuma promover. A pista onde o acidente ocorreu fica a 3.000 metros de altitude e havia recebido neve abundante nos últimos dias, razão pela qual o risco de avalanches ali era considerado médio. Um socorrista relatou ao jornal local Dauphiné Libéré que a neve da avalanche é de uma grande espessura, o que dificulta as tarefas de resgate.

Desde o começo de janeiro, quatro pessoas morreram na França em diversas avalanches, segundo a France Presse. Dois alpinistas lituanos morreram dia 3 na Alta Saboia, e dois dias mais tarde um espanhol e um tcheco foram achados mortos na Saboia.

Arquivado Em: