Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine
ALPINISMO

Uma avalanche deixa 16 guias nepaleses mortos no Everest

O acidente é o mais grave dos últimos oito anos no Himalaia

Uma expedição em sua subida ao topo do Everest.
Uma expedição em sua subida ao topo do Everest. AFP

Uma avalanche no Everest causou a morte de 16 guias de montanhismo nepaleses no pior acidente registrado no Himalaia em oito anos, segundo informou o Ministério do Turismo do Nepal. Além disso, não se descarta que o número de vítimas fatais aumente. Por enquanto, há ao menos cinco desaparecidos à espera de que o Governo confirme com os operadores do turismo das expedições o total de pessoas que se encontravam na região.

Segundo comentou aos meios de comunicação Dipendra Paudel, responsável pela área de montanhismo do Departamento de Turismo do Nepal, a avalanche ocorreu em uma parte relativamente baixa da montanha às 07.00 locais desta sexta-feira (22.15 de Brasília da quinta). Mais concretamente, a cerca de 6.200 metros de altitude entre o campo base e o campo um. As autoridades enviaram para a região helicópteros e pessoal de resgate em terra.

Em frente à sede do Ministério, um porta-voz das equipes de resgate, Lakpa Norbu Sherpa, assegurou ao veículo local Ekantipur que o número de mortos é de 14, e que 13 dos corpos já foram resgatados, enquanto "um deles não poderá ser transladado até domingo devido ao mau tempo".

O grupo que se viu surpreendido pela avalanche era composto por aproximadamente cinquenta pessoas. A maioria era xerpa, habitante do Himalaia, embora também estivessem entre eles alguns montanhistas estrangeiros para se aclimatarem à altitude, como costuma acontecer. Junto com cada escalador costuma subir um guia para ajudar na subida. Os xerpas costumam ir na frente para preparar o terreno, fixar as cordas e instalar os acampamentos.

O Ministério do Turismo do Nepal concedeu permissão para a escalada do Everest nesta temporada a 334 estrangeiros, frente aos 328 registrados na temporada anterior. A época de escalada primaveril começou oficialmente em março, embora os primeiros montanhistas não tenham começado a subir a montanha até abril. O período costuma se prolongar até maio, quando começam as chuvas e o nevoeiro, o que torna praticamente impossível atingir o topo.

O Everest já foi escalado por mais de 4.000 pessoas desde 1953. A rota na qual se registrou a avalanche é a que foi seguida pelos pioneiros sir Edmund Hillary e o xerpa Tenzing Norgay e é uma das mais utilizadas ainda hoje. Ao todo, já morreram quase 250 pessoas no Everest.

Em setembro de 2012, em uma das avalanches mais mortíferas dos últimos anos, na montanha Manaslu, no Himalaia nepalês, causou a morte de 11 montanhistas, entre eles oito franceses e um espanhol. Em novembro de 1995, no monte Everest, também faleceram por uma avalanche 26 montanhistas, dos quais 12 eram alpinistas japoneses e o restante xerpas nepaleses.