eleições afegãs

Duas jornalistas estrangeiras, baleadas no Leste do Afeganistão

A fotógrafa alemã Anja Niedringhaus morreu no ato A repórter canadense Kathy Gannon está gravemente ferida O suposto autor dos disparos, um policial, foi preso, segundo fontes locais

Restos do veículo onde viajavam as jornalistas. (reuters_live)

Um homem com uniforme de policial disparou na manhã desta sexta-feira contra duas jornalistas estrangeiras na província de Khost, no Leste do Afeganistão. Uma delas morreu e a outra está ferida, segundo confirmou a agência Associated Press (AP), para a qual trabalhavam. Ambas se encontravam em uma aldeia na fronteira do Afeganistão com o Paquistão com uma equipe da Comissão Eleitoral que distribuía panfletos e outros materiais para as eleições de amanhã.

Anja Niedringhaus, de 48 anos, uma fotógrafa alemã de renome internacional, morreu no ato, segundo um colaborador do serviço de vídeo da AP que testemunhou o tiroteio”, anunciou a agência em um artigo publicado em seu site. Por sua vez, a jornalista canadense Katy Gannon, de 60 anos, ficou “ferida por dois disparos e está recebendo tratamento, mas em situação estável”, acrescenta o texto. Ao que parece, Gannon, uma veterana da região, podia falar com o pessoal médico que fazia o atendimento.

“Naqibullah, um policial do distrito de Tani, em Khost, disparou contra as duas jornalistas estrangeiras. Uma morreu e a outra está ferida”, declarou Mobariz Zadran, o porta-voz do governador dessa província, à agência Reuters.

Suas palavras indicam que o assassino era para valer um policial e não alguém disfarçado de tal, como se suspeitava e como aconteceu em outros atentados. No entanto, uma fonte do Ministério das Relações Interiores disse ao EL PAÍS que “só se sabe com segurança que ele vestia um uniforme policial”.

“O atirador foi parado e está sendo interrogado”, informou a mesma fonte que pediu o anonimato.

O incidente ocorre em um momento em que o Afeganistão reforçou sua segurança para as eleições presidenciais de amanhã e diante das ameaças dos talibãs.

Nas últimas semanas, vários atentados tiveram como alvo o hotel Serena de Cabul (onde um jornalista da agência France Presse morreu, além de outras oito pessoas, incluindo sua mulher e dois filhos), a sede da Comissão Eleitoral Independente, e o Ministério da Relações Interiores. Em janeiro, um jornalista sueco foi assassinado no meio da rua na capital afegã.