Presidenta Dilma

Dilma e quatro ex-presidentes viajam para funeral de Nelson Mandela

Obama e outros três ex-mandatários dos Estados Unidos também partiram rumo a Johanesburgo

Sarney, Lula, Dilma, FHC e Collor antes de embarcarem para Johanesburgo.
Sarney, Lula, Dilma, FHC e Collor antes de embarcarem para Johanesburgo.ROBERTO STUCKERT (AFP)

Os últimos cinco presidentes brasileiros, incluindo a atual, Dilma Rousseff, embarcaram na tarde desta segunda-feira para a África do Sul, onde participarão das cerimônias fúnebres em homenagem ao ex-presidente sul-africano e prêmio Nobel da Paz Nelson Mandela, que morreu na última quinta-feira, aos 95 anos.

A petista Dilma convidou para viajar no avião presidencial seus aliados Luiz Inácio Lula da Silva, José Sarney e Fernando Collor, além do oposicionista Fernando Henrique Cardoso.

Desde que iniciou seu governo, em 2011, essa é ao menos a terceira ocasião em que Dilma reúne parte de seus antecessores em atos públicos. As outras foram na visita do presidente americano Barack Obama ao Brasil, em março de 2011, em um encontro com líderes mundiais, em outubro do mesmo ano, e durante a posse da Comissão da Verdade, em maio do ano passado. Em algumas das vezes, o ex-presidente Itamar Franco, morto em julho de 2011, também participou de alguns encontros.

Por meio de sua conta no microblog Twitter, a presidenta afirmou que reuniu seus antecessores com um objetivo comum.

“O Estado brasileiro se une para honrar Mandela, exemplo que guiará todos aqueles que lutam pela justiça social e pela paz. É uma demonstração de que as eventuais divergências [políticas] no dia-a-dia não contaminam as posições do Estado Brasileiro”.

No avião presidencial, que partiu do Rio de Janeiro, também embarcaram quatro membros do primeiro escalão da gestão Dilma, Luiza Bairros (Secretaria de Promoção da Igualdade Racial), Helena Chagas (Secretaria de Comunicação Social), Luiz Alberto Figueiredo (Relações Exteriores) e o assessor especial da Presidência para assuntos internacionais, Marco Aurélio Garcia.

Mais chefes

Cerca de 90 chefes de Estado e de governo já confirmaram presença no evento, que acontecerá no estádio FNB, em Soweto, Johanesburgo - o mesmo local em que Mandela fez sua última aparição pública, na final da Copa do Mundo de 2010.

Dos Estados Unidos, o presidente Barack Obama e três dos quatro ex-presidentes que ainda estão vivos seguiram viagem para África do Sul. Bill Clinton, George W. Bush e Jimmy Carter participarão do ato. O único ex-mandatário norte-americano que não estará na cerimônia será George H. W. Bush, por conta de problemas de saúde.

Obama conheceu Mandela em 2005, durante seu primeiro ano como senador, e desde então ambos mantinham uma foto daquele encontro em seus escritórios. Na semana pasada, o presidente americano lembrou que a luta contra o apartheid inspirou sua visão de mundo e da política.

“O dia que saiu da prisão me deu o sentido de que os seres humanos podem conseguir quanto são guiados pela sua esperança e não por seus medos”, afirmou.

Obama, Dillma, o cubano Raúl Castro, além de representantes da Namíbia, China e da Índia, farão um discurso em homenagem a Mandela. O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon e quatro netos de Mandela também falarão no ato, que deve contar com a presença de ao menos 80 mil pessoas.

O corpo de Mandela será enterrado na aldeia de Qunu, localizada na província pobre do Cabo Leste, onde ele cresceu.