Há mais de três meses, os moradores de Barão de Cocais, em Minas Gerais, vivem sob tensão pelo risco de rompimento da barragem Sul Superior, que abastece a mina do Congo Soco. A cidade localizada a 100 quilômetros da capital mineira está em alerta desde fevereiro, quando as sirenes foram acionadas pela primeira vez pela Vale, responsável pela estrutura, e comunidades foram evacuadas. Pouco mais de um mês depois, as sirenes voltaram a soar indicando riscos, mas foi nos últimos dias que a tensão chegou ao ápice. O problema está no talude (um paredão de terra) na cava da mina, que se movimentava cerca de 10 centímetros ao ano, mas na última quarta-feira, passou a apresentar movimentação de 9,6 centímetros por dia. Caso o talude rompa por conta dessa intensa movimentação, pode provocar abalos sísmicos, um gatilho para o rompimento da barragem Sul Superior. Embora a Vale garanta estar tomando as medidas preventivas possíveis, o perigo iminente do rompimento tem alterado a rotina da cidade e afetados até mesmo a economia local.

“A Vale é um câncer no Brasil porque ela dá uma colher e tira uma pá”

Morador de Barão de Cocais, o carreteiro Sílvio Faria fala sobre o risco de rompimento de barragem da Vale. Vídeo mostra a rotina alterada da cidade mineira na rota de um novo tsunami de lama

Reprodução do Google Maps da região da Mina de Gongo Soco, em MG

Mais uma barragem da Vale pode se romper a partir deste domingo

Mineradora identificou deformação na Mina de Gongo Soco, em Barão de Cocais, que levaria à terceira catástrofe do tipo na região de MG em menos de quatro anos

Um bairro residencial de Congonhas, cidade de Minas Gerais, rodeado por 23 barragens de resíduos de mineração.

A maldição das minas no Brasil: entre o medo do desemprego e o fantasma da impunidade

Cem dias depois do desastre provocado pela Vale em Brumadinho, que deixou 235 mortos e 35 desaparecidos, vizinhos de barragens em Minas Gerais temem que fiscalização insuficiente da mineração provoque novas tragédias

Imagem da água escurecida do Rio São Francisco, durante expedição realizada pela ONG.

Resíduos de Brumadinho já matam os peixes do rio São Francisco

Dados da Fundação S.O.S. Mata Atlântica mostram que alguns trechos do Velho Chico já estão com água imprópria para uso da população. Concentração de ferro, manganês, cromo e cobre está acima dos limites permitidos por lei

Não há desenvolvimento sem proteção ambiental

Afrouxar o licenciamento ambiental aumenta a margem de lucro das empresas, em função da redução dos custos. Porém, quando ocorre um desastre ambiental, o que há é uma socialização dos prejuízos, que são pagos pela sociedade como um todo

Piloto em Brumadinho: “É lindo minha sobrinha saber que pode ser bombeira se quiser”

Karla Lessa, a primeira mulher comandante piloto de helicópteros de bombeiro do Brasil, fez os primeiros resgates aéreos na tragédia de Brumadinho

Fabio Schvartsman durante sessão de comissão na Câmara dos Deputados, em fevereiro.

Pressão das autoridades força saída temporária de presidente da Vale

Fabio Schvartsman, que assumiu empresa em 2017 com lema "Mariana nunca mais", se afasta com outros três diretores

A lama após um mês da ruptura da barragem do Córrego do Feijão, em Brumadinho.

Tragédia em Brumadinho derruba grau de investimento da Vale

Agência de risco Moody's rebaixou, em escala global, ratings da mineradora brasileira

Bombeiros carregam um corpo recuperado em meio aos rejeitos em Brumadinho, no dia 28 de janeiro.

O que fazer quando empresas matam

Países têm o desafio de fazer com que grandes corporações, com receitas muitas vezes superiores a PIBs, respeitem os direitos humanos e sejam punidas por suas violações. Legislações, tratados e convenções focam na penalização de Estados e indivíduos

Polly Higgins, a advogada e ativista de direitos humanos e ambientais.

“Os desastres da mineração no Brasil podem ser julgados como crimes contra a humanidade”

Advogada que luta para incluir o ecocídio, a morte do meio ambiente, na lista de crimes contra a paz, defende que é preciso punir criminalmente diretores de empresas que cometem atrocidades; na Corte Penal Internacional, se necessário

Um mês de luto sem corpo em Brumadinho. Familiares “morrem um pouco a cada dia”

Bombeiros ainda buscam por 131 pessoas desaparecidas após rompimento da barragem da Vale. Sobreviventes e parentes de vítimas tentam cicatrizar as dores e o trauma após tragédia

Sobreviventes relatam dor e luta após tragédia da Vale em Brumadinho.

VÍDEO | “Minha vida vai ser lutar por justiça”, diz sobrevivente de Brumadinho

Um mês após rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, 131 pessoas continuam desaparecidas

Interior de um escritório da Vale em Brumadinho, tirada 20 dias após o rompimento da barragem.

Brumadinho: as últimas notícias sobre o rompimento de barragem da Vale

Número de mortes na tragédia chega a 179, mas buscas por 131 pessoas desaparecidas continuam

Áreas na zona de autossalvamento da barragem de Vargem Grande, em Nova Lima

Vale desloca 125 pessoas que vivem no entorno de mais cinco barragens

Desocupações ocorreram nas cidades de Ouro Preto e Nova Lima, em Minas Gerais Mineradora afirma que são ações preventivas, mas três das cinco barragens estão na "zona de atenção" de risco da empresa

Equipe de resgate recupera corpo após barragem ruir em Brumadinho

O valor de uma vida exposta ao risco das barragens da Vale: 2,6 milhões de dólares

Documento da mineradora estima indenização de potenciais vidas perdidas em rompimento de barragens. Estudo é utilizado na avaliação de companhias sobre quais os riscos elas estão dispostas a aceitar

Mina Mar Azul, em Nova Lima.

Vale retira 200 pessoas de casa em Nova Lima por risco em mais uma barragem

Esta é a segunda vez, após Brumadinho, que a mineradora aciona seu plano de emergência para prevenir novas tragédias

Um bombeiro em busca por vítimas da tragédia de Brumadinho, 20 dias após a ruptura da barragem da Vale.

Relatório da Vale cita laudos de barragens emitidos sem a segurança recomendada

Companhia frisa que nada apontava "risco iminente". Para MP, funcionários assumiram “risco de produzir centenas de mortes”

Imagem de um capacete da Vale tirada 20 dias após a tragédia na mina Córrego do Feijão.

Oito funcionários da Vale são presos em investigação sobre rompimento da barragem de Brumadinho

Dois executivos, dois gerentes e quatro técnicos são investigados por suspeita de autoria ou participação em centenas de homicídios, por crimes ambientais e de falsidade ideológica

Um bombeiro durante os labores de busca.

A estrutura da barragem de Brumadinho após a tragédia

Barragem I da Mina do Feijão, que rompeu em Brumadinho

Documento da Vale calcula que alerta poderia ter salvado mais de 150 vidas em Brumadinho

Relatório interno da mineradora em 2018 diz que, se alerta funcionasse, vítimas fatais poderiam ter sido reduzidas a menos de dez. Empresa diz que não existe estudo com "qualquer menção a risco de colapso iminente" na mina

Moradores de Brumadinho realizam homenagem às vítimas.

O “luto ambíguo” dos que esperam pelos familiares desaparecidos em Brumadinho

160 pessoas ainda não foram encontradas, o que dificulta o enfrentamento do luto dos que ficam. "Não há cura. A cura é encontrar o corpo", diz especialista

Entrada da mina Gongo Soco, em Barão de Cocais, município que teve moradores evacuados após risco de rompimento na sexta-feira.

Processos contra a Vale nos EUA podem agravar situação judicial da empresa no Brasil

Ao menos nove ações coletivas foram protocolados contra a mineradora nos Estados Unidos por acionistas. Uma vitória lá fora pode fortalecer ações contra a companhia no Brasil

Barragem que rompeu em Brumadinho

Com laudos sob desconfiança, MP faz pente fino para checar risco real de barragens

Documento interno da Vale sobre risco de barragens de 2018 coloca dez estruturas na "zona de atenção". Análise da empresa foi apreendida durante operação que deteve engenheiros de Brumadinho

Reprodução do Google Maps.

Defesa Civil diz agora que 304 abandonaram casas por riscos em barragens em Minas

239 pessoas foram retiradas de suas casas, junto a barragem da mina Gongo Soco, da Vale, em Barão de Cocais. Em Itatiaiuçu, a mineradora ArcelorMittal retirou outras 65 pessoas que viviam próximo à barragem de Serra Azul

Equipe de resgate atua em Brumadinho

Responsável por fiscalizar barragens, ANM já admitiu falta de verba para vistorias ‘in loco’

Relatório de 2017 aponta que 80% do orçamento é gasto no administrativo. A procuradores que aguardam inspeção de mina há quatro anos, autarquia alega "recursos escassos"

Oficial da Polícia Federal faz fotos na barragem I da mina do Feijão, em Brumadinho.

Inspeção apontou problemas na barragem da Vale, mas laudo de segurança foi emitido mesmo assim

Dois laudos feitos cinco meses antes da tragédia apontam que a estrutura estava no limite da segurança STJ determinou a soltura de executivos da Vale e engenheiros responsáveis pelo monitoramento