Pandemia de coronavírus

Para onde olhar, que fundo escolher e outros conselhos para se sair bem numa entrevista de trabalho online

A conversa a distância se torna cada vez mais habitual nos processos seletivos. Uma especialista nos conta como passar uma boa impressão e evitar contratempos

GETTY
María Sánchez

A necessidade de distanciamento social e a expansão do home office tornam cada vez mais habitual que as empresas convoquem os candidatos por chamadas de vídeo. Uma ferramenta que já estamos habituados a utilizar em contextos informais, com amigos ou colegas de trabalho —mas como devemos usá-la corretamente quando há um emprego em jogo?

Mais informações

Pensando naquelas pessoas que precisam encarar pela primeira vez um encontro desse tipo, elaboramos, com a ajuda de uma especialista em seleção de pessoal, um pequeno guia com vários aspectos a levar em conta.

Não subestime esse tipo de contato

A especialista em recrutamento Rosa Urraca lembra que uma entrevista por videochamada tem o mesmo valor e peso para a tomada de decisões que uma entrevista presencial. “.Portanto, a importância que devemos lhe dar deve ser a mesma, e não podemos subestimá-la em nenhum momento, apesar do meio que utilizamos para nos comunicar com nosso interlocutor (neste caso, entrevistador).”

Portanto, assim como fazemos antes de uma prova presencial, devemos nos preparar com cuidado para o momento e inclusive aumentar “nosso interesse e motivação para que a barreira interativa não seja tanta barreira”, afirma a especialista em RH.

Ensaie o olhar e a linguagem corporal

“Se não estivermos acostumados a utilizar esse meio, é recomendável visualizar-se previamente para estarmos seguros de como o entrevistador nos observa e de que nossa imagem está bem enquadrada na tela”, diz Urraca.

Nesse sentido, temos que situar a câmera na altura dos olhos e nos acostumar a dirigir o olhar à frente, e não para baixo, um erro muito habitual nesses casos. Também é aconselhável prestar atenção à nossa linguagem corporal e, como estaremos sentados, mostrar-se ereto. “Assim como numa entrevista presencial, os aspectos-chaves para podemos realizá-la com sucesso são, por um lado, a segurança que manifestamos (olhar nos olhos do interlocutor, postura erguida ou serenidade) e a segurança na transmissão de nossas ideias e conhecimentos”, afirma Urraca. Por outro lado, devemos mostrar motivação pela vaga ou projeto que estamos disputando, e esta “se verá manifestada, de maneira natural, numa expressão facial e corporal entusiasmada, positiva e apaixonada”.

Escolha um lugar neutro

Em uma entrevista por videochamada, tudo o que aparecer na tela será suscetível a ser julgado, então não custa dedicar um tempo para testar os diferentes enquadramentos e que impressões eles podem causar ao nosso interlocutor. O ideal é se situar diante de um fundo neutro, que não distraia a atenção do que importa. A iluminação também é um fator a levar em conta. Neste caso, o ideal é que ela incida de frente sobre nós, evitando o contraluz. Os profissionais também aconselham se situar a uma distância média e ficar bem centrado.

Algumas plataformas de videochamada, como Zoom, permitem modificar o fundo para simular um cenário diferente daquele onde estamos. Nesse caso, por se tratar de uma entrevista de trabalho, e não uma reunião mais informal, Urraca indica optar por um cômodo concreto, e não um ambiente fictício: “Considero que seja mais real estar localizado em um espaço que ofereça naturalidade, mas ao mesmo tempo ‘neutralidade’, para que o entrevistador não se veja influenciado pelo que o cômodo onde estamos transmite.”

Adapte seu vestuário ao estilo da empresa

O fato de não irmos até a sede da companhia não significa que não devamos planejar a roupa que vestiremos durante a entrevista. Segundo Urraca o que devemos fazer é “analisar a vaga de trabalho que estamos disputando e nos vestir de acordo com ela. Para isso, procuraremos informação prévia sobre a empresa, seus funcionários etc., e, mesmo se não pudermos ter acesso a isso, é preciso cuidar ao máximo da impressão que geramos ao interlocutor”.

Além de nos adaptarmos ao estilo de vestimenta da empresa em questão —mais ou menos formal— também se deve levar em conta que vamos ficar na frente de uma câmera. É recomendável, por exemplo, evitar objetos de listras que provoquem o temido efeito moiré, ou as cores muito escuras, que tendem a absorver a luz.

Tenha um plano B para um possível contratempo

Durante a pandemia, com o aumento das reuniões por videoconferência, sucedem-se as imagens de interrupções caseiras de entrevistas ou reuniões. A especialista em RH indica que, se temos que encarar uma entrevista de trabalho, “devemos, por todos os meios, evitar que isto aconteça, controlando todos os fatores que estão em jogo: preparar previamente a conexão, reservar esse tempo para estarmos sozinhos sem interrupções etc.”.

Mesmo assim, é possível, por exemplo, que a conexão à Internet falhe, então “o ideal é estarmos preparados para o que possa ocorrer e oferecer ao entrevistador outro meio para poder supri-lo: entrevista telefônica, via WhatsApp, outras plataformas disponíveis… Ou seja, propor de maneira ativa uma solução rápida para que o entrevistador não deixe de valorizar nosso interesse a todo momento por essa vaga ou projeto”, explica Urraca.

Informações sobre o coronavírus:

- Clique para seguir a cobertura em tempo real, minuto a minuto, da crise da Covid-19;

- O mapa do coronavírus no Brasil e no mundo: assim crescem os casos dia a dia, país por país;

- O que fazer para se proteger? Perguntas e respostas sobre o coronavírus;

- Guia para viver com uma pessoa infectada pelo coronavírus;

- Clique para assinar a newsletter e seguir a cobertura diária.